Sertanejo Henrique, da dupla com Juliano, atira em animal e se justifica
Sertanejo Henrique / Instagram

Sertanejo Henrique, da dupla com Juliano, atira em animal e se justifica

O cantor Henrique, que faz dupla com Juliano, se viu envolvido em uma grande polêmica, por causa de um dos touros de sua fazenda, durante a ExpoPalmas, que foi realizada na capital do Tocantins, na quinta-feira passada (19).

Segundo o colunista Leo Dias, do portal UOL, após uma briga entre os animais no curral da exposição agropecuária, um deles fugiu, e por causa disso, o sertanejo se viu obrigado a sacrificar o animal com um tiro.

Henrique explicou ao colunista o que levou ele ter essa atitude. “Alguns dos nossos animais, touros reprodutores da Fazenda Terra Prometida, de nossa propriedade, estavam sendo expostos e comercializados nessa feira. Foi mandado 20 touros. […] Houve uma briga entre os touros, o curral não suportou e um dos touros fugiu.”, disse o cantor. Em seguida ele critica a organização da ExpoPalmas. “Foi um fracasso de organização de profissionalismo e de respeito com as pessoas também”, afirmou.

O cantor ainda revelou que foi montada uma operação para que o animal fosse resgatado, porque ele oferecia risco à vida. “[O touro] fugiu em direção à rodovia. O parque [de exposições onde a feira foi realizada] fica entre duas rodovias muito movimentadas em Palmas. A gente fez de tudo para que esses touros não invadissem a pista para preservar a vida de todo mundo que trafegava ali. A gente tentou capturar o touro […], só que não conseguimos. […] Posteriormente esse touro invadiu uma propriedade privada, onde tinha um senhor, uma senhora, onde tinha criança ali”, contou.

Ele ainda disse que não teve como salvar o animal e justificou o sacrifício. “Infelizmente, o nosso animal teve que ser sacrificado até para preservar a vida de todo mundo e para amenizar o sofrimento do touro, que já estava ferido pela briga no curral e pela fuga no parque”, disse ele, que garantiu que todos os cuidados para que o animal não sofresse foram tomados. “O sacrifício, a eutanásia foi feita como orienta o guia de boas práticas em eutanásia animal feito pelo Conselho Federal de Medicina [Veterinária] para não causar qualquer tipo de dor ou sofrimento ao animal”.

Henrique ainda garantiu que não infringiu nenhuma lei. “Foi uma ação totalmente legítima. Possuo o porte federal de arma de fogo. Comuniquei os fatos à autoridade assim que pude. Era necessário proteger a vida de outras pessoas, de pessoas inocentes e era necessário cessar o sofrimento do animal também”.

Com Informações: Área Vip

Fechar Menu