Segurança compartilhada inibe 20% dos crimes contra comércio no Centro de Suzano
Foto: Sabrina Silva

Segurança compartilhada inibe 20% dos crimes contra comércio no Centro de Suzano

Agentes contratados rondam os estabelecimentos e inibe a prática de roubos e furtos

Os comerciantes da região central de Suzano compartilham a segurança dos quarteirões. Os agentes contratados rondam os estabelecimentos e inibem a prática de roubos e furtos. Para os lojistas, a atividade criminosa reduz até 20% com presença dos guardas. Apesar disso, invasões durante a madrugada e assaltos, até mesmo durante o dia, ainda acontecem. A Associação Comercial e Empresarial (ACE) alerta quanto à atenção redobrada nas datas de maior movimento.
 
O lojista A.S.M, que atua no ramo de eletrodomésticos e tecnologia, conta que há troca de informações com os guardas da rua. “Temos a nossa própria segurança armada, mas sempre ficamos sabendo de suspeitos que circulam na área através do contato com os guardas. Até que ajuda reduzir os furtos em uns 20%. Apesar disso, quando é para ter assalto, ninguém segura e os bandidos roubam mesmo. Em média, por mês, temos de dois a três furtos de objetos pequenos, como celular. Em época de Black Friday ou saldão já furtaram ferro de passar roupa e fritadeira”. Outras formas de segurança adotada pela unidade é o monitoramento de câmeras e alarmes.
 
De acordo com um dos agentes, o grupo de segurança é formado por cerca de 60 pessoas espalhadas pela malha central da cidade. O atendente T.N disse que são dois guardas por esquina, para zelar dez comércios. “Eles guardam o dia todo, até o fim do expediente da última loja. Mas, há uns dois meses, sofremos invasão durante a noite, sem muito prejuízo. No ano passado também furtaram a fiação elétrica duas vezes, em uma única semana. Diversos estabelecimentos foram fechados por dois dias. Aí houve prejuízo, por não lucrar. No caso, o dono dos imóveis alugados tem que tomar providências”, explicou.
 
De acordo com o presidente da ACE, Neder Romanos, a entidade não tem um levantamento sobre os comércios que aderem a esta segurança, mas a medida ajuda na prevenção dos furtos. “A gente orienta principalmente nas datas comemorativas. Há também parceria com a Polícia Militar (PM) e passamos folders de segurança, para que as pessoas tenham cuidados básicos. Nessas datas, o gerente fica a mil por hora e esquece esses detalhes. Depois dessas temporadas, fica menos perigoso, assim posso dizer. Até que durante o ano tem diminuído o número de Boletins de Ocorrência (B.O.), pelo o que sei”. 
 
Casos
 
No início de dezembro passado, bandidos armados levaram 8 quilos de cabelos naturais de uma loja especializada, na Rua General Francisco Glicério. O assalto aconteceu durante a manhã de uma sexta-feira. Em novembro, a PM prendeu um suspeito por roubo. O homem estava com mercadoria avaliada em R$ 7 mil e mais R$ 445, em dinheiro. A ação criminosa aconteceu em um sábado e, na ocasião, os ladrões armados levaram roupas e acessórios, que totalizam R$ 15,4 mil de prejuízo. 
 
Ainda no ano passado, em fevereiro, dois assaltantes foram presos após um roubo na loja Pernambucanas. O crime aconteceu no início do expediente de uma quarta-feira e teve um prejuízo de R$ 60 mil. 
 
Com Informações: Diário de Suzano
Fechar Menu