Sala de Acessibilidade em Suzano recebe poucas visitas

Espaço localizado em biblioteca de Suzano é equipado para os que possuem deficiência visual, auditiva e outras

A sala de acessibilidade na Biblioteca Municipal Professora Maria Elisa de Azevedo e Cintra, localizada no Centro de Educação e Cultura Francisco Carlos Moriconi, em Suzano, completa, nesta quinta-feira, quatro meses de atividades. Um espaço inovador, totalmente adaptado com equipamentos que auxiliam e incentivam a leitura de deficientes visuais (parcial e total) e portadores de outros tipos de deficiências. No entanto, segundo a prefeitura, a procura pelo espaço ainda é pequena.
 
A administração do local acredita que a pouca visitação ao ambiente pode ser por conta da alta tecnologia trazida pelos smartphones, que oferecem autonomia para os deficientes. Mas a equipe salienta que nem todos os deficientes contam com esses suportes, portanto, a biblioteca seria uma forma de abrir uma oportunidade a esse público especial. De acordo com o bibliotecário responsável, Gilmar Santana,  estratégias vêm sendo feitas para atrair visitantes. “Muitos deficientes da região vão até São Paulo, na Fundação Dorina Nowill, destinada a cegos, em busca do aprendizado. Mas eles já começaram a ser informados sobre a estrutura construída em Suzano, que foi preparada totalmente para eles”, comentou.
 
Com um investimento de R$ 64 mil em equipamentos, o lugar é  climatizado com equipamentos de última geração, como impressora em braille, um teclado de linha em braile, scanner e digitalizadora com voz, mouse estacionário de esfera, lupa eletrônica, além de um grande acervo de livros já impressos em braile.
 
Não só a sala é acessível, como também o prédio todo. O secretário de Cultura de Suzano, Geraldo Garippo, apontou as mudanças realizadas no estabelecimento. “Instalamos rampas de acesso para a entrada ao prédio e à biblioteca, também foi feito um banheiro adaptado. Colocamos o piso tátil e estamos terminando o elevador, pelo qual os cadeirantes e as pessoas com mobilidade reduzida poderão chegar ao segundo andar”, explicou.
 
Segundo Garippo, outras mudanças estão programadas para facilitar a vida dos deficientes. “Nossa expectativa é que, daqui a algum tempo, todos os prédios públicos da cidade possam contar com placas de identificação em braile, inclusive a nossa biblioteca, tornando mais prático o acesso a pessoas com deficiência”, afirmou.
 
Equipamentos
 
Os equipamentos à disposição no espaço suzanense possibilitam a todos os deficientes uma viagem ao universo da leitura.  E o local é aberto tanto à população de Suzano, como também a das demais cidades da região e da Grande São Paulo. A impressora em braile, por exemplo, permite transformar cartas, capítulos de livros, poemas e qualquer outro documento impresso em braile. Tudo isso é feito pela digitalizadora e scanner com voz, que auxilia o deficiente com a tarefa de fazer as operações.
 
O computador que está instalado nesses aparelhos possui um mouse estacionário de esfera e um teclado de linha braile. O mouse é destinado aos que possuem visão, mas têm dificuldades em utilizar o aparelho convencional. Geralmente, são pessoas que tiveram algum membro amputado ou que já nasceram com esse problema e não conseguem apertar a tecla do mouse. Com o aparelho estacionário, fazem todas as funções do equipamento normal. Já o teclado é voltado aos deficientes visuais, com o qual podem escrever em braile abreviado no computador e também ler. 
 
Outro aparelho interessante é a lupa eletrônica. Por meio dela o deficiente com baixa visão pode levar um livro, apostila, carta, documento e aumentar as suas letras. Com isso, terão acesso a uma imagem ampliada das páginas, propiciando uma leitura mais fácil e agradável.
 
Segundo o bibliotecário Gilmar Santana, todos são orientados por um profissional da unidade. “Até o visitante ter a sua própria autonomia, as visitas e estadias nas salas são supervisionadas por algum funcionário capacitado para lidar com os equipamentos”, explicou.
 
Nova unidade
 
Arujá será o próximo município do Alto Tietê a possuir uma sala de acessibilidade igual à construída na biblioteca de Suzano. Ela será instalada na Biblioteca Pública Municipal Alda Martins Soncini, e o espaço está em fase de implantação. Segundo a administração municipal, faltam poucos ajustes no ambiente para que seja aberta à população. Atualmente, a prefeitura está realizando o cadastramento dos deficientes visuais da cidade, cujos dados serão importantes para a criação de eventos, cursos e atividades voltadas especificamente a este público.
 
Com Informações: Portal News
Fechar Menu