Produtor de Renato Russo sobre operação: “Não existem músicas inéditas”

Carlos Trilha usou as redes sociais para comentar a operação Será, deflagrada pela Polícia Civil do Rio de Janeiro. Para ele, todo o material já foi “totalmente espremido”.

O produtor musical de Renato Russso, Carlos Trilha, afirmou que não existem músicas inéditas do líder da Legião Urbana. Para ele, todo o material já foi “totalmente espremido”. O produtor publicou um texto, nas redes sociais, nesta terça-feira (27/10), como resposta à Operação Será, deflagrada pela Polícia Civil do Rio de Janeiro.

Carlos Trilha, que não foi alvo da operação, disse: “Não existem músicas inéditas. Existem letras não usadas por Renato que estariam sendo musicadas por terceiros, escolhidas pelo jornalista Marcelo Froes antes da administração do espólio ser transferida para o herdeiro dos direitos”.

“As tais ‘versões inéditas’ de músicas que já existem é quase certo que sejam remixagens utilizando as vozes guia das faixas que possuíam este registro”, completou. “O que existia de material inédito já foi totalmente espremido”, concluiu Carlos Trilha.

A operação

Policiais da Delegacia de Repressão aos Crimes Contra Propriedade Imaterial (DRCPIM) encontraram um relatório que contém pelo menos 30 músicas supostamente inéditas gravadas pelo cantor Renato Russo, nesta segunda-feira (26/10). Os investigadores cumpriam mandado de busca e apreensão em dois estúdios de gravação e na residência de um produtor musical no Rio de Janeiro.

A Operação Será teve início após Giuliano Manfredini, filho de Renato Russo e detentor dos direitos autorais do pai, procurar a polícia para denunciar um perfil fake nas redes sociais que mencionava a existência de obras inéditas do cantor. A Polícia Civil identificou o autor do perfil e apurou que ele havia entrado em contato com um produtor musical.

“Há indícios de que a denúncia feita pelo filho de Renato Russo estava correta e há mesmo versões de músicas inéditas. Vamos analisar agora esse material. Foi possível arrecadar elementos de provas cruciais para a continuidade da investigação e o esclarecimento total dos fatos”, disse o delegado responsável pelo caso, Maurício Demétrio.

Além do relatório de versões inéditas, também foram apreendidos HDs e cartuchos de gravação.

Com Informações: Metrópoles

Fechar Menu