Portelão terá até 150 leitos para acolhimento emergencial na quarentena
Foto: Wanderley Costa

Portelão terá até 150 leitos para acolhimento emergencial na quarentena

Iniciativa é voltada à população em vulnerabilidade, especialmente às pessoas em situação de rua, e também prevê refeições, atividades e assessoramento

A Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social de Suzano deu início ao projeto de acolhimento emergencial voltado à população em vulnerabilidade, especialmente às pessoas em situação de rua, neste período de pandemia do novo coronavírus (Covid-19). O plano prevê a oferta de até 150 leitos no Complexo Poliesportivo Paulo Portela, o Portelão, na região central da cidade, a partir da próxima semana.

De acordo com o chefe da pasta, Murilo Inocencio, a ação é executada por meio de uma força-tarefa que envolve a Secretaria de Esportes e Lazer, que cedeu o espaço, o Fundo Social de Solidariedade e entidades parceiras do município.

Também haverá suporte essencial das Secretarias de Saúde, Educação e Meio Ambiente, sendo esta última por meio do projeto de Bem-Estar Animal, para o acolhimento adequado de cães e gatos da população em situação de rua. O ginásio passa por adequações estruturais para a implantação de cem leitos para este público, com a possibilidade de ofertar mais 50 vagas para outras pessoas em situação de vulnerabilidade social.

Inocencio explicou que a ideia é garantir leitos, refeição e higiene a esse grupo durante o período da pandemia. Para isso, existe esse empenho em adequar o espaço, seguindo critérios sanitários e de distanciamento. O serviço não será de porta aberta, ou seja, o atendimento deve ocorrer somente por meio do Creas (Centro de Referência Especializado de Assistência Social), que já tem o conhecimento da população em situação de rua no município.

A expectativa é de que os primeiros usuários do serviço se instalem no ginásio a partir da semana que vem. O secretário disse que nenhuma pessoa será obrigada a permanecer no alojamento. A saída será livre, desde que haja referenciamento técnico e laudo clínico assegurando as condições de saúde do indivíduo. O principal objetivo é manter o isolamento social e evitar a circulação de pessoas nas ruas. Em Suzano, a administração se prepara para oferecer este acolhimento emergencial a quem precisar.

Atividades
Além dos leitos, refeições e vestiários, o plano ainda deve contemplar assessoramento e atividades dinâmicas. O chefe da pasta detalhou dizendo que estuda estabelecer outras ações junto às Secretarias de Cultura e de Esportes e Lazer para possíveis atividades envolvendo o grupo, além do assessoramento que segue protocolos naturais da assistência social, como o auxílio no enfrentamento ao vício do álcool e de drogas.

Nesta quarta-feira (15/04) o secretário se reuniu com representantes de entidades, ao lado do prefeito Rodrigo Ashiuchi e da presidente do Fundo Social de Solidariedade, Larissa Ashiuchi. A primeira-dama reforçou a importância da parceria entre as pastas e as instituições. Ela disse que o enfrentamento à Covid-19 requer uma frente ampla, não apenas com foco na saúde, mas em todas as esferas que uma pandemia pode afetar. Na questão social, a atenção aos públicos em vulnerabilidade deve ser redobrada. O trabalho é para garantir a segurança de todos, sem que nenhum direito seja violado.

Ashiuchi endossou a fala, lembrando que o único objetivo neste momento é o bem-estar e a vida. O prefeito destacou que trabalha diariamente, executando e traçando novas estratégias para Suzano neste cenário. O Fundo Social já levou auxílio a cerca de 250 famílias e outras 6 mil receberam apoio da Assistência Social, por meio da Educação. Ele pontuou que neste trabalho, mais uma vez, a administração conta com a colaboração das entidade parceiras. Ashiuchi se diz muito feliz em contar com a vocação dessas pessoas em ajudar o próximo. Para ele, cada entidade carrega um capítulo da história de Suzano e agora todos estão juntos para enfrentar mais essa batalha.

Com Informações: Secop

Fechar Menu