Mestres do Judô recebem homenagem no Palácio 9 de Julho
Foto: Sérgio Galdino

Mestres do Judô recebem homenagem no Palácio 9 de Julho

O evento intitulado “História Paulistana do Judô” prestou homenagem aos senseis (professores da modalidade) mais antigos da cidade, além dos alunos que se destacaram nesta temporada na capital paulista.

A palavra judô significa “caminho suave ou caminho da suavidade”. A arte marcial é muito mais do que um esporte, é uma filosofia de vida. Nesta véspera de feriado, a Assembleia Legislativa de São Paulo fez um resgate histórico.

O evento intitulado “História Paulistana do Judô” prestou homenagem aos senseis (professores da modalidade) mais antigos da cidade, além dos alunos que se destacaram nesta temporada na capital paulista.

“A arte do judô existe há mais de 500 anos. Importante homenagear os principais mestres da arte da cidade e o evento hoje é para isso. A filosofia deles é esta, da disciplina. Eles utilizam a arte marcial para fazer os ensinamentos disciplinares, da educação e do respeito ao próximo. O judô tem isso na sua essência e por isso é uma arte tão respeitada e foi pioneira nas Olimpíadas”, declarou o deputado Rodrigo Gambale (PSL), responsável pelo evento.

Um dos homenageados da tarde foi o sensei Dante Kanayma. Aos 79 anos, dedicou 53 deles para a prática esportiva e para passar a arte de geração a geração. “O judô para mim significa a vida. Através dele criei meus três filhos. Estou bem feliz em estar aqui, emocionado. Quando temos um evento desses que reconhece nosso trabalho, fico gratificado. Eu não parei, dou aula para crianças e realmente é um momento especial”.

Kanayama abordou a importância do judô na vida da criança. “O judô é um elemento de formação, que dá muita experiência para a vida das crianças, para adaptação aos pequenos problemas. Cair, levantar, ter responsabilidade, ter autoconfiança. É uma filosofia de vida”, acrescentou.

Foto: Sérgio Galdino

Solange Pessoa é pioneira na modalidade feminina no país. Ela foi técnica da seleção brasileira e a primeira judoca a disputar um mundial, em 1980 em Nova Iorque, nos Estados Unidos, ficando em quinto lugar na competição aos 19 anos de idade.

“É um orgulho muito grande receber essa homenagem. A gente faz parte da história e eu, como outras meninas, formos as primeiras a participar do campeonato mundial e para nós é um reconhecimento muito grande. Nós abrimos muitas portas, o judô feminino abriu muitas portas e vem crescendo muito e tem muito espaço para crescer. Isso é uma dádiva”, finalizou.

Foram homenageados ao todo oito senseis e 34 atletas da capital paulista.

Com Informações: ALESP

Fechar Menu