Hospital de campanha de Itaquá só terá sete leitos
Hospital, que irá funcionar da UPA (foto) e no CSI deve ser inaugurado no dia 16 Foto: Osvaldo Birke

Hospital de campanha de Itaquá só terá sete leitos

Prefeitura justificou que encontrou dificuldades para comprar os equipamentos para a unidade. A projeção era a entrega de 50 leitos.

A entrega dos leitos do hospital de campanha de Itaquaquecetuba está marcado para a semana que vem, no entanto, a unidade que está sendo instalada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Jardim Caiuby e onde seria o Centro de Saúde Infantil (CSI) na região central da cidade, terá somente sete vagas para anteder a população infectada pelo coronavírus (Covid-19) no município. A projeção era que a Prefeitura instalasse 50 leitos.
A quantidade em comparação a Mogi das Cruzes e Suzano, que possuem capacidade para até 200 e 80 vagas, sendo dez de suporte avançado de estabilização, respectivamente, é inferior. Isso sem contar que Itaquá é a segunda cidade mais populosa do Alto Tietê e também a segunda em números de contaminados (626) e mortos (92) pela Covid-19, atrás apenas de Mogi (leia mais abaixo).
A Prefeitura de Itaquá, ao ser questionada pela reportagem, explicou que houve dificuldades na compra de aparelhos para a unidade. “Devido à grande dificuldade na compra de equipamentos, a previsão é de que sejam equipados no total sete leitos para estabilização, sendo cinco no prédio da UPA Caiuby, e dois no prédio onde seria instalado o CSI. Cada um dos sete leitos será equipado com ventilador pulmonar, monitor multiparâmetro, e bomba de infusão”.
Sobre o início oficial das atividades do hospital de campanha, a administração municipal destacou que ainda faltam mudanças a serem feitas. “O hospital de campanha se encontra em fase final de adequação, onde a maior dificuldade é a compra de equipamentos para os leitos de estabilização, principalmente no que diz respeito aos ventiladores pulmonares”. A Prefeitura finalizou explicando que as alterações deverão ser finalizadas até sexta-feira e a inauguração oficial deve ocorrer na terça-feira da semana que vem. “A previsão inicial era o dia 1º de junho, e de fato os atendimentos estão ocorrendo, porém existem algumas adequações em andamento, motivo pelo qual o início oficial será na segunda quinzena de junho”.
A previsão de gasto com o hospital é de até R$ 4 milhões durante todo o tempo que durar a pandemia. Somente com as instalações, Mogi gastou R$ 2,8 milhões e Suzano R$ 527 mil.
Com Informações: Portal News
Fechar Menu