Filha de Paulinho do Roupa Nova fará show em homenagem ao pai no Rio
Twigg com Paulinho na infância (à esquerda) e nos dias de hoje (Foto: Acervo pessoal)

Filha de Paulinho do Roupa Nova fará show em homenagem ao pai no Rio

Cantora Twigg se apresentará na praia do Recreio na próxima quinta-feira (14), dia em que completa um mês da morte do músico após complicações da Covid-19

A cantora Twigg, primogênita de Paulo César Santos, o Paulinho, vocalista do Roupa Nova, que morreu aos 68 anos após complicações da Covid-19, fará um show em homenagem ao pai na próxima quinta-feira (14), dia em a morte do músico completa 1 mês. A apresentação acontecerá a partir das 17h no quiosque Bells (quiosque número 102, na Avenida Lúcio Costa), na praia do Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio. Aberto ao público, o evento, que é gratuito, exigirá o uso de máscaras faciais de proteção contra o novo coronavírus.

“Como o velório e a missa de sétimo dia tiveram que ser fechados (ao público) por causa da Covid, quis fazer esse show pelo meu pai e pelos fãs (dele).O evento vai ser a partir das cinco da tarde porque quero pegar o pôr do sol. Vou cantar músicas que meu pai cantou, músicas que me lembram ele, músicas que ele gostava. Ele sempre gostou muito de fazer farra musical com os amigos em casa e é isso que estou buscando fazer por ele. Devem ir alguns amigos músicos também”, contou Twigg à Quem.

Quando Paulinho estava internado com a Covid, Twigg conversou com Quem sobre o pai. “Meu pai teve um linfoma e fez um transplante de medula óssea autólogo em agosto (em que as células-tronco do próprio paciente são removidas de sua medula óssea ou sangue periférico antes do transplante) e, quando recebeu alta, descobriu que estava com Covid-19”, explicou Twigg, um dia antes do pai morrer.

Ela ainda falou sobre a relação com os admiradores do pai. “Tenho muito contato com os fãs do meu pai e essa ligação é muito forte. A gente recebe muito carinho e amor sempre. Meu pai é um cara que precisa do ato de cantar, de subir no palco, ele é muito apaixonado pelo que faz e isso transborda para os fãs”, disse, na ocasião.

Na época, a artista – que tem um irmão mais novo, o baterista e produtor musical Pedro Paulo, o Pepê, de 32 anos – disse que Paulinho vivia para cantar.  “A vida dele é a música, ele nem sabe viver se não fizer isso. Meu pai começou a ter banda profissional aos 18, mas já cantava desde cedo”, destacou.

Com Informações: Quem

Fechar Menu