Doria nega F1 no Rio em 2020 e diz que Bolsonaro foi tomado por entusiasmo
Foto: Adriano Machado/Reutetrs

Doria nega F1 no Rio em 2020 e diz que Bolsonaro foi tomado por entusiasmo

Governador de São Paulo ressaltou que Interlagos tem contrato com a Fórmula 1 até o ano que vem e que pretende renová-lo

O governador de São Paulo, João Doria, afirmou nesta quarta-feira, 9, que o GP do Brasil de Fórmula 1 de 2020 não será transferido do Autódromo de Interlagos, na capital paulista, para o Rio de Janeiro, contrariando as afirmações do presidente Jair Bolsonaro.

Em entrevista à Rádio Bandeirantes, Doria ressaltou que Interlagos tem contrato com a Fórmula 1 até 2020 e disse que Bolsonaro foi tomado por “entusiasmo” em seu discurso.

Na terça-feira 8, o presidente da República anunciou que um autódromo será construído no bairro de Deodoro, na Zona Oeste do Rio, e batizado de Ayrton Senna. Bolsonaro disse ainda que as obras durarão cerca de sete meses e que a nova pista receberá a Fórmula 1 já em 2020.

“O autódromo da Fórmula 1 é Interlagos. Já não há apenas uma tradição, mas um fluxo econômico que justifica e ampara a realização do GP em São Paulo. Não é uma questão de cidade. É uma questão econômica que move o mercado da Fórmula 1 no mundo todo. Isso não significa menosprezar a importância turística e econômica do Rio de Janeiro, mas a consistência para um investimento do tamanho do circo da Fórmula 1 está em São Paulo”, afirmou Doria.

Em seguida, Doria ressaltou sua boa relação com Bolsonaro, com o governador Wilson Witzel e com o prefeito Marcelo Crivella, mas minimizou o discurso dos colegas e citou questões ambientais envolvendo o terreno em Deodoro.

“Vejo poucas chances de uma ação anunciada, talvez com algum entusiasmo, pelas autoridades federais e do Rio de Janeiro, de que em 2020 a Fórmula 1 seja realizada em Deodoro, que, aliás, é um descampado do Exército, uma área de proteção ambiental. Não tem nada lá. Não é possível imaginar construir e equipar um autódromo apenas pela vontade de dois ou três dirigentes.” O governador de São Paulo ressaltou ainda que já há negociações para que a categoria permaneça em Interlagos por mais dez anos.

Doria anunciou que o Autódromo de Interlagos será “concessionado por prazo determinado”, e não mais privatizado, e que pretende renovar seu contrato com a Fórmula 1 por mais uma década. “São Paulo não abre mão da Fórmula 1, da qual tem direito por contrato, com multas pesadíssimas, de milhões de dólares, para qualquer das partes que ousar desistir.”

Com Informações: Veja

Fechar Menu