Corpo de Loalwa ainda não foi enterrado

Cantora foi assassinada em 19 de janeiro

A família da cantora Loalwa Braz, ex vocalista da banda Kaoma,denuncia a falta de nitrogênio líquido no Instituto de Genética Forense para realização do exame de DNA e identificação do corpo no Instituto Médico Legal (IML) de Araruama, na Região dos Lagos do Rio. O material químico é usado para pulverizar o osso e fazer a confrontação com o DNA do filho dela e ser identificado.

A família informou, na última segunda-feira (6), ao G1 que foi coletado material genético do filho da cantora para comparação com o DNA de um osso de Loalwa. A voz do hit “Chorando se foi” foi encontrada dentro de um carro em Saquarema, na Região dos Lagos do Rio, no dia 19 de janeiro. Três suspeitos foram presos e  levados para o Complexo Penitenciário de Gericinó (RJ).

A família de Loalwa já havia  relatado dificuldade na liberação do corpo da cantora do IML. A Polícia Civil informou que uma empresa privada já se comprometeu a comprar o nitrogênio para doação, mas que não há uma data prevista para a compra. No entanto, a Polícia Civil disse que a falta do nitrogênio não impede a realização de sepultamentos por familiares, na condição de não identificado. A polícia disse, em nota, que o corpo de Loalwa já se encontra liberado para a família desde que seja providenciada a certidão de óbito.

Fonte: Diário de Goiás

Deixe uma resposta

Fechar Menu