Casarão da Memória vai abrigar Museu de Suzano, após restauro
Casarão da Memória está em fase final de restauro e deverá abrigar Museu de Suzano. — Foto: Reprodução/TV Diário

Casarão da Memória vai abrigar Museu de Suzano, após restauro

Intervenções estão na fase final e expectativa da prefeitura é de que o espaço seja reinaugurado ainda este ano.

O Casarão da Memória, em Suzano, entrou na fase final de restauro e deve ser reinaugurado ainda este semestre. O prédio construído em 1885 vai ser aproveitado para receber exposições, cinema, feiras de artesanato, e agora vai abrigar o Museu de Suzano.

As janelas do prédio são do século XIX, já os ladrilhos da varanda dos antigos donos são da época da construção, de Antonio Marques Figueira, com dois andares para abrigar a família.

Segundo pesquisadores, o primeiro dono da residência veio pra cá, para trabalhar na estação. Tanto que olhando do alto, dá pra ver como a casa fica pertinho dela.

“O primeiro morador foi Antonio Marques Figueira, tem uma história até engraçada, porque a frente dele hoje é as costas do antigo casarão, porque ele era de frente para a estação, porque Suzano se desenvolveu a partir da estação. Vale lembrar que nesta casa aconteceu a reunião onde ocasionou a emancipação de Suzano”, conta Rita Paiva, diretora de cultura responsável pelo local

O local que já guarda tanta história, agora vai reunir outras memórias. O secretário municipal de Cultura, Geraldo Garripo, diz que o local vai colher relatos de pessoas que ajudaram a construir a história da cidade.

“Esse acervo vai ser dividido com as novas gerações, então é um espaço para cuidar da memória. Os documentos importantes para a história de Suzano serão salvaguardados aqui”, diz o secretário.

Ainda segundo o secretário, o casarão ficou por muitos anos sem reforma e preservação então toda a reformulação do imóvel garantiu as características originais. “Falta implantar um elevador externo para oferecer acessibilidade a todos os visitantes, é a parte que está faltando, com o paisagismo e a montagem das exposições”, ressalta

Cada cômodo da casa será temático. Ao todo são 11 espaços, um deles será a sala-casa, em que será contada toda a história do local e da importância dela para Suzano.

“Cada sala vai ter a sua personalização, expositiva, uma mais tecnológica, um auditório, falar sobre migração, além de outras atividades que vão fazer com os visitantes interajam com a história de Suzano, de uma forma contemporânea e lúdica, que eu acho que agrada muito”, diz a diretora.

Com Informações: G1 Mogi das Cruzes e Suzano

Fechar Menu