Após encontro com Crivella, Liesa confirma desfiles em 2018; escolas insistem em revisão de corte

A Liesa (Liga Independente das Escolas de Samba do Rio) confirmou a realização dos desfiles do Grupo Especial em 2018.

Os dirigentes das 13 agremiações se reuniram na manhã desta quarta-feira com o prefeito Marcelo Crivella, na sede da Prefeitura, na Cidade Nova, zona central da cidade. As escolas, que cogitaram não desfilar em 2018, voltaram atrás.

As escolas pedem que Crivella reveja o corte. A ideia é convencer o prefeito a diminuir o corte para algo em torno de 25%. Outra proposta na mesa é a isenção de ISS (Imposto sobre Serviço) – atualmente, a Prefeitura recolhe cerca de 5% do valor de cada ingresso vendido. A princípio, porém, a redução está mantida.

Em contrapartida, Crivella prometeu fazer o pagamento da subvenção de R$ 1 milhão de forma antecipada, um pedido antigo das escolas. Só não disse quando, especificamente. Em texto no site da Prefeitura, fala-se em “até o fim do ano”.

No encontro, ficou definido ainda que não haverá reajuste nos preços dos ingressos para espectadores. A proposta chegou a ser estudada com alternativa de compensação pela falta do recurso da Prefeitura.

Apesar do clima de confronto dos últimos dias, o blog apurou que a reunião se deu em clima de paz. Crivella convocou vários secretários municipais e o presidente da Riotur, Marcelo Alves. Também não houve cobrança por parte dos dirigentes pela promessa feita pelo prefeito em 2016, quando ainda era candidato, de que não mexeria no apoio dado ao Carnaval.

Novo “bloco”

Crivella apresentou os motivos que o levaram a decidir pelo corte, e as escolas também explicaram o impacto da redução da verba.

“Vou lutar muito para conseguir os recursos para o carnaval. Hoje, demos o primeiro passo para um acordo. Fundamos o bloco ‘É conversando que a gente se entende’. Além do Marcelo Alves (presidente da Riotur), estão comigo para ajudar vocês pessoas como o Boni, Roberto Medina e Ricardo Amaral, todos interessados em encontrar uma solução” disse Crivella, em declaração reproduzida pelo site da Prefeitura.

“Independentemente do que acontecer, todos aqui vão se empenhar em fazer um grande espetáculo. Vamos construir um grande carnaval em parceria com a Prefeitura. Estou confiante de que vamos achar uma solução”, afirmou o presidente da Liesa, Jorge Castanheira.

Reencontro

Uma nova reunião foi marcada para a manhã da próxima segunda-feira, dia 3 de julho. O encontro entre as escolas, que estava marcado para a noite desta quarta, foi cancelado.

As escolas ameaçaram não desfilar em 2018 por causa do corte de 50% na verba da Prefeitura. O Carnaval chegou a ser dado como suspenso. Segundo as agremiações, sem os R$ 13 milhões esperados, as apresentações ficariam inviáveis.

Crivella, por sua vez, se nega a voltar a atrás no corte de verba. A Riotur, empresa municipal responsável pela organização dos desfiles junto da Liesa, se prontificou a buscar na iniciativa privada mais recursos para as escolas. (Com BandNews FM Rio).

Com Informações: Portal Band

Deixe uma resposta

Fechar Menu