Anistia Internacional: novela da Globo presta desserviço à cultura de direitos humanos

Entidade emitiu nota na qual “manifesta total repúdio ao uso do nome da organização de maneira indevida no capítulo da novela A Regra do Jogo”

anistia

A Anistia Internacional emitiu uma nota pública nesta terça-feira (22) por conta da utilização do nome da entidade pela novela da Globo A Regra do Jogo, exibida na noite desta segunda-feira. Na trama, um dos personagens centrais se apresentou em uma cena como advogado da entidade.

Ao entrar em um presidio de segurança máxima, o protagonista da novela, Romero Romulo, interpretado por Alexandre Nero, se apresenta como advogado de direitos humanos que estaria a serviço da Anistia Internacional. A representação equivocada do trabalho de defensores de direitos humanos na novela tem sido explorada de forma irresponsável e contribuído para criminalizar o mesmo”, diz o texto.

a regra

De acordo com a nota, a utilização do nome da organização é um “desserviço”. “Embora se trate de uma obra de ficção, a novela A regra do jogo, ao usar o nome da Anistia Internacional – uma organização referência e atuante no país, presta um desserviço à consolidação de uma cultura de direitos humanos na sociedade brasileira”, diz a nota. Confira a íntegra do texto abaixo:

NOTA PÚBLICA: Menção à Anistia Internacional na novela ‘A regra do jogo’

A Anistia Internacional manifesta total repúdio ao uso do nome da organização de maneira indevida no capitulo da novela A regra do jogo exibido nesta segunda feira (21). Ao entrar em um presidio de segurança máxima, o protagonista da novela, Romero Romulo, interpretado por Alexandre Nero, se apresenta como advogado de direitos humanos que estaria a serviço da Anistia Internacional. A representação equivocada do trabalho de defensores de direitos humanos na novela tem sido explorada de forma irresponsável e contribuído para criminalizar o mesmo.

A Anistia Internacional é uma organização respeitada, com 54 anos de história, que conta com mais de 7 milhões de apoiadores que se mobilizam em defesa dos direitos humanos para todos e todas. Vencedora do Prêmio Nobel da Paz (1977) e presente em mais de 150 países, tem 95% dos seus custos financiados por doações individuais, o que permite total independência de governos, partidos, interesses econômicos, políticos e religiosos.

No início de agosto desse ano, a Anistia Internacional publicou o relatório “‘Você Matou Meu filho’: Homicídios cometidos pela Polícia Militar na cidade do Rio de Janeiro”, denunciando casos de execuções extrajudiciais na favela de Acari e outras comunidades fluminenses. Desde então, vem pressionando as autoridades estaduais a adotarem medidas urgentes para garantir investigação dos casos e justiça para as famílias das vítimas, além de medidas estruturais para adequar o uso de força letal pela polícia.

No Brasil, a atuação da organização tem sido pautada pelo debate amplo sobre os altos índices de homicídios entre os jovens negros moradores de periferia, que respondem por 77% dos cerca de 30 mil jovens assassinados todos os anos no país.

Embora se trate de uma obra de ficção, a novela A regra do jogo, ao usar o nome da Anistia Internacional – uma organização referência e atuante no país, presta um desserviço à consolidação de uma cultura de direitos humanos na sociedade brasileira.

Fonte: Portal Fórum – IG

Deixe uma resposta

Fechar Menu