Túmulo do médium Chico Xavier é alvo de depredação em Uberaba

Amigos e seguidores interpretaram o fato como um caso de intolerância religiosa. Segundo os números do disque-denúncia, do ministério dos Direitos Humanos, em 2016 foram registradas 759 denúncias de discriminação religiosa.

O túmulo do médium Chico Xavier, em Uberaba, foi alvo de depredação nesse sábado (30).

O vidro onde fica guardado o busto do médium mais famoso do Brasil foi atingido por tijolos e está trincado.

O vandalismo foi denunciado pelo filho de Chico Xavier, e também médium, Eurípedes Higino. Amigos e seguidores interpretaram o fato como um caso de intolerância religiosa.

A mesma explicação para o incêndio que destruiu um terreiro de candomblé, em Jundiaí, na grande são Paulo, há uma semana.

Esculturas, quadros e instrumentos musicais foram completamente destruídos. Com o incêndio, paredes de madeira desapareceram e o telhado foi comprometido.

O terreiro é administrado por Mãe Rosana de Iansã. O ministério público do estado foi acionado e deve apresentar denúncia. Também estão sendo organizadas doações para reerguer o templo.

Os dois casos em menos de uma semana ajudam a mostrar um problema que está cada vez mais visível no Brasil que é o da intolerância religiosa.

Segundo os números do disque-denúncia, do ministério dos Direitos Humanos, em 2016 foram registradas 759 denúncias de discriminação religiosa.

O número é quase 37% maior que os casos registrados no ano anterior.

Só aqui em São Paulo, o número de denúncias saltou de 37 para 105 casos, um aumento de 184%.

Esses são os números mais recentes disponíveis. Um novo balanço com os casos notificados até junho de 2017 já deveria ter sido divulgado, mas está atrasado.

O ministério dos Direitos Humanos justifica que a equipe reduzida contribuiu para o atraso.

Com Informações: EBC

Deixe uma resposta

Fechar Menu