Suzano lança Violentômetro para ajudar mulheres a identificarem a escalada da violência doméstica
Foto: Reprodução

Suzano lança Violentômetro para ajudar mulheres a identificarem a escalada da violência doméstica

Material tem o objetivo de esclarecer e combater a violência doméstica.

As mulheres de Suzano têm uma cartilha para orientar e ajudar nos casos de violência. O material recebeu o nome de Violentômetro e mostra o que é chamado de escalada de violência. Sandra Nogueira é a coordenadora do programa de promotoras legais populares, que conscientiza sobre a violência doméstica.

O curso forma mulheres para reconhecerem seus direitos. Para Sandra, muitas não sabem que são vítimas de violência. “As aulas ajudam que elas se ajudem e ajudem outras mulheres”,, afirma Sandra.

A coordenadora detalha que ao olhar o Violentômetro, a mulher aprende a reconhecer os diferentes graus de violência que podem terminar com o feminicídio. “A violência tem sempre um início. Ela começa de maneira gradual. A escala mostra isso: uma piada, mentir, chantagear, humilhar, etc.”

Sandra explica que, reconhecendo isso, a mulher precisa buscar ajuda na Delegacia de Defesa da Mulher, Patrulha Maria da Penha, (Centro de Referência em Assistência Social) Cras ou (Centro de Referência Especializado em Assistência Social (Creas).

Violência no Alto Tietê

A Secretaria Estadual de Segurança Pública informou que foram registrados 4 casos de feminicídios no Alto Tietê entre janeiro e junho deste ano. Já no mesmo período de 2018 foram 3 casos.

O Diário TV exibiu já, somando feminicídios e tentativas, neste ano, nove casos de janeiro para cá. Nesta semana, uma mulher foi encontrada morta no bairro Miguel Badra, em Suzano, após se negar a reatar com o ex-marido. O suspeito foi preso nesta quinta-feira (15).

Somando só os casos da Região Metropolitana do Estado, em 2018 foram registrados mais de 21 mil crimes de violência contra as mulheres.

Em todo o Estado, foram cerca de 123 mil ocorrências. Os crimes com maior número de ocorrências em 2018 no Estado foram lesão corporal dolosa, quando há intenção de ferir ( mais de 50 mil) e ameaça (57.296).

Com Informações: G1 Mogi das Cruzes e Suzano

Fechar Menu