Suzano: Agentes da GCM passarão por avaliação para utilizar armas

Prefeitura iniciou ontem pregão presencial de registro de preços para contratar empresa que prestará o serviço. Revólveres serão utilizados em forma de revezamento, sendo 25 guardas por turno.

Quanto ao concurso público, ainda não há previsão de quando o efetivo será reforçado,  já que o concurso que estava previsto para junho precisou ser adiado.

A Prefeitura de Suzano vai contratar em breve uma empresa especializada em avaliação psicológica para capacitar os integrantes da Guarda Civil Municipal (GCM) a atuarem com armas de fogo. As informações foram confirmadas pela Secretaria de Segurança Cidadã. A pasta ainda adiantou que serão 25 agentes por turno portando o armamento.
 
Ontem, a administração municipal iniciou o pregão presencial de registro de preços para contratar a empresa que prestará o serviço. A abertura dos envelopes está agendada para o dia 2 de agosto.
 
A Secretaria de Segurança lembrou que a avaliação psicológica é obrigatória para que os agentes possam atuar armados no trabalho ostensivo. Inclusive, já existe um ofício de doação de 25 revólveres calibre 38 da GCM de Campinas. “O armamento da guarda daquele município foi modernizado e estes revólveres estavam na reserva”, explicou, por meio de nota.
 
A Secretaria ainda ressaltou que as armas estão em plena capacidade de operação, pois têm bom estado de conservação, com canos reforçados, e são consideradas adequadas para a função da GCM. Os equipamentos ainda devem receber a autorização do Exército Brasileiro.
 
Sem dar prazos concretos, a pasta disse que a expectativa é que a GCM possa atuar armada o mais breve possível. A Prefeitura ainda lembrou que, inicialmente, serão 25 guardas municipais por turno portando armas, já que os revólveres serão utilizados em revezamento pelos agentes.
 
Concurso
 
Atualmente, Suzano conta com um efetivo de 139 GCMs, dos quais apenas 30% se encontram no trabalho operacional, levando em conta férias e afastamentos, escala de trabalho e agentes lotados em prédios públicos, segundo dados da Secretaria Municipal de Segurança Cidadã.
 
Ainda não há previsão de quando o efetivo será reforçado, já que o concurso público que estava previsto para junho precisou ser adiado. A desatualização da lei específica referente à contratação de novos guardas foi o que emperrou a realização dos trâmites para a contratação de novos guardas.
 
“Como não havia concurso público nesta área desde 2010, a lei precisou ser atualizada para que a contratação se dê de maneira correta”, explicou a pasta. O texto atualizado já foi encaminhado para apreciação da Secretaria de Assuntos Jurídicos e do Gabinete. O documento também deve ser encaminhado e aprovado pela Câmara. A princípio, a expectativa é que sejam contratados entre 30 e 40 novos guardas.
 
Com Informações: Portal News
Foto: Wanderley Costa

Deixe uma resposta

Fechar Menu