Sobrevivente de ataque em escola de SP vira embaixador da liga norte-americana de basquete no Brasil
Foto: Reprodução G1

Sobrevivente de ataque em escola de SP vira embaixador da liga norte-americana de basquete no Brasil

Depois do que aconteceu, José Vitor recebeu um convite pra estudar numa rede de escolas particulares, uma universidade ofereceu uma bola de estudos, e até no basquete a vida dele mudou.

Um dos sobreviventes do massacre numa escola de Suzano superou a tragédia – e agora vai atrás do sonho, numa quadra de basquete.

Para quem quase não conseguiu sair do local, é impossível não se lembrar daquele dia. A escola Raul Brasil, em Suzano, cidade que fica a 50 quilômetros da capital São Paulo, foi palco de um massacre que resultou na morte de dez pessoas. Onze ficaram feridas.

Em março, dois assassinos dispararam tiros e também golpes de machadinha. Entre os sobreviventes, José Vitor Ramos.

“Foi a primeira coisa que eu fui perguntei pro médico, se eu ia poder voltar a jogar basquete. Porque eu estava com machado lá. E eu tirei raio-x, e o médico tirou e falou na hora assim pra mim: eu tinha nascido de novo”, conta o estudante.

Depois de uma cirurgia e quase dois meses sem bater bola, José Vitor só voltou fazer o que mais gosta recentemente. As marcas continuam, mas ele não é o mesmo: “mudou tudo da água para o vinho”.

Depois do que aconteceu, José Vitor recebeu um convite pra estudar numa rede de escolas particulares, uma universidade ofereceu uma bola de estudos, e até no basquete a vida dele mudou. Tanto que ele foi convidado pela liga norte-americana para ser o embaixador da casa dela aqui no Brasil.

Zé recebeu mensagens de brasileiros que jogam ou já jogaram na NBA. Depois, a honra de conhecer o maior jogador de basquete da história do Brasil: Oscar.

Com Informações: G1 Jornal Nacional

Fechar Menu