Projeto na região busca reduzir taxa de mortes por infarto
Projeto foi explicado nesta segunda-feira (18) durante reunião com os prefeitos na sede do CondematFoto: Sabrina Silva / Divulgação

Projeto na região busca reduzir taxa de mortes por infarto

Profissionais de saúde da rede pública de Suzano e região vão receber uma nova capacitação para atender pacientes que estejam passando por um infarto. O ‘Projeto Infarto’ será realizado através de uma parceria entre a Condemat e a Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp).

Profissionais de saúde da rede pública de Suzano e região vão receber uma nova capacitação para atender pacientes que estejam passando por um infarto. O ‘Projeto Infarto’ será realizado através de uma parceria entre o Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) e a Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp).
O objetivo do projeto é reduzir a taxa de mortalidade por infarto durante os primeiros atendimentos nos setores de emergência dos hospitais públicos.
O prefeito de Suzano, Rodrigo Ashiuchi (PR), afirma que o projeto não contemplará apenas médicos e enfermeiros, mas todos os profissionais dos prontos socorros e postos de saúde da cidade.
“Esta parceria totalmente gratuita com a Socesp resultará em um treinamento de capacitação para todos os profissionais da saúde em Suzano. Todos os prontos socorros e postos de saúde da região serão contemplados pelo projeto”, afirma o prefeito.
O projeto é voltado aos profissionais que trabalham nas emergências, e funciona por meio de palestras e treinamentos nos hospitais. A ação é iniciada com um plano de avaliação e reciclagem dos médicos e enfermeiros dos hospitais. Uma equipe de cardiologistas da Socesp realiza palestras e treinamentos para o diagnóstico correto dentro do tempo necessário.
O presidente da Socesp, José Francisco Saraiva, destacou a importância do projeto para o Alto Tietê e afirmou que com a nova capacitação, o número de mortes por infarto na região poderá diminuir. “Esta doença mata nas primeiras horas, para que você possa reduzir esta situação um atendimento imediato é necessário. A orientação também deve se estender para a população, para que eles possam identificar os primeiros sintomas da doença de maneira rápida”, explica.
Segundo informações da Secretaria de Estado de Saúde do Estado de São Paulo, os motivos do elevado índice de mortes por AVC podem envolver a ida tardia do paciente ao hospital, após as primeiras doze horas do início dos sintomas; o diagnóstico inadequado no hospital dentro do tempo necessário; e ao não tratamento com trombolítico na emergência.
Agnaldo Piscopo, diretor do centro de emergências da Socesp enfatiza a importância do projeto, já que o infarto é a causa mais comum de morte no país. O diretor do centro de emergências da Socesp, diz esperar que outras cidades se interessem pelo programa e que apóiem esta iniciativa. Segundo ele, o projeto está previsto para ser iniciado ainda no primeiro semestre deste ano.
Com Informações: Diário de Suzano
Fechar Menu