Projeto de requalificação do Centro com calçadão busca recursos federais
Foto: Regiane Bento/DS

Projeto de requalificação do Centro com calçadão busca recursos federais

Secretaria avalia que o principal fator que pode definir a rapidez da execução do projeto é a própria pandemia

O projeto do calçadão em Suzano prossegue. A Secretaria de Planejamento Urbano e Habitação, por meio da Diretora de Planos e Projetos, fez o levantamento de dados na Rua General Francisco Glicério, Benjamin Constant e adjacentes no intuito de analisar a realidade do centro comercial de Suzano, suas fraquezas e potencialidades.
O estudo resultou em um detalhado relatório sobre a realidade desta área. Uma reunião foi feita na Associação Comercial e Empresarial de Suzano (ACE) para aprender os resultados.
Depois, o projeto da requalificação do centro foi inscrito no Ministério de Desenvolvimento Regional para captar recursos – em paralelo, a secretaria municipal passou a elaborar os primeiros estudos de uma intervenção urbana no centro comercial. O Governo Federal ainda não deu um parecer sobre o projeto e a próxima etapa local (apresentação das primeiras propostas na ACE para um debate público) deve aguardar o fim da quarentena para ser executada. A pasta avalia que o principal fator que pode definir a rapidez da execução do projeto é a própria pandemia do novo Coronavírus.
Comerciantes
Comerciantes e pedestres que passam todos os dias pelo Centro de Suzano, vivem a expectativa para a implantação de um calçadão há anos. Neste período de aumento de movimento nas lojas, o conhecido corredor comercial da cidade – as ruas Francisco Glicério e Benjamin Constant -, recebe ainda mais consumidores que disputam por espaço nas calçadas.
Morador da rua Campos Salles há 15 anos, o aposentado Antônio Nonato, 65, considera a necessidade do calçadão. “Da forma que está, fica cada vez mais difícil circular. Suzano já merece esse calçadão há muito tempo. Ajudaria no dia a dia dos consumidores e dos lojistas”, comentou o aposentado, que também lembrou a importância de melhorar a sinalização para veículos.
A implantação do espaço para circulação daria mais tranquilidade para a mobilidade dos pedestres, mas quando encontra o tema trânsito, transtornos maiores poderão surgir. É o que acredita o balconista Rafael Pontes, 22, que trabalha em uma das lojas da região central.
“Não tenho dúvidas que seria melhor para o comércio, mas acredito que o problema seria ainda maior no transito da cidade. Não tem muito espaço para isso. Precisa ser muito bem estudado”, ressalta o balconista.
Com Informações: Diário de Suzano
Fechar Menu