Prefeitura de Suzano instala semáforos em 7 cruzamentos da Marginal do Una
Foto: Regiane Bento/Divulgação

Prefeitura de Suzano instala semáforos em 7 cruzamentos da Marginal do Una

Algumas das instalações já funcionam com contagem regressiva. Questões técnicas seguem em estudo

A Prefeitura de Suzano está instalando semáforos em sete cruzamentos da Marginal do Una. Segundo a Secretaria de Transportes e Mobilidade Urbana, eles devem iniciar a operação ainda nesta semana.
Segundo a pasta, as questões técnicas dos semáforos, como tempo de duração, por exemplo, estão em estudo e ajustes. Detalhes devem ser divulgados no dia da inauguração da Marginal do Una, prevista para a próxima quinta-feira, 19.
A reportagem percorreu a via e constatou que alguns semáforos já estão funcionando. Inclusive, vários deles contam com uma contagem regressiva, que tem facilitado a vida de quem circula tanto pela Marginal do Una quanto por vias transversais, como a Rua Júlio Alberto Mathey.
Neste cruzamento, a reportagem constatou que a contagem gira em torno de 70 segundos de paralisação para quem vem pela Rua Júlio Alberto Mathey. Esse é o tempo em que a via principal fica com o sinal aberto.
Já quem está na Marginal do Una aguarda, mais ou menos, 20 segundos com o sinal fechado, tempo em que os motoristas têm para atravessar pela via transversal ou acessar a via principal.
A opção por semáforos com contagem regressiva agrada o mecânico de manutenção Welison da Silva, 44. Ele já havia visto alguns equipamentos desse tipo na vida e apoia a implantação. “É melhor, porque respeitam mais. É possível ver quanto tempo falta para o carro passar, e até para que não se perca muito tempo”, justifica.
O vendedor Paulo Pereira, 48, diz que o mais importante é que os motoristas respeitem os semáforos. “Independente do semáforo, a pessoa tem que ter coerência também. O ser humano tem que ter consciência de que tem que respeitar a sinalização”, diz.
“Já tinha visto várias vezes. Acho esse modelo melhor, porque facilita mais para a visualização. Fica mais fácil de interpretar o sinal e você trabalha dentro do tempo dele”, opina o analista de logística, José Hildo, 50.
Para a auxiliar de enfermagem Maria José, 60, o modelo do semáforo não importa muito. Ela diz que o que faz a diferença é a conduta dos motoristas. Maria faz um adendo, afirmando que a contagem pode provocar acidentes.
“Se o condutor perceber que o tempo está acabando, pode correr para conseguir passar. A lei está aí para ser respeitada. No vermelho tem que parar, no verde tem que seguir”, diz Maria.
Com Informações: Diário de Suzano
Fechar Menu