População denuncia barulho em excesso na Nove de Julho
Foto: Daniel Carvalho

População denuncia barulho em excesso na Nove de Julho

Parte dos moradores é composta por idosos que sofre com problemas de saúde

Conhecida pela quantidade de bares e vida noturna que avança até a madrugada, a agitação da avenida Nove de Julho, localizada no bairro Jardim Santa Helena, em Suzano, vem, literalmente, tirando os sono dos moradores do entorno. A reportagem foi até o local e conversou com algumas pessoas, e, segundo elas, essa situação já dura mais de um ano.
Um desses moradores, que preferiu não se identificar, contou que mora na mesma avenida há 43 anos e afirmou que antes do funcionamento desses bares a vizinhança era tranquila. “Hoje, quando chega a sexta-feira, nosso sossego acaba. O pessoal fica do lado de fora dos bares usando droga e consumindo bebida alcoólica até às 4 horas”. Ele ainda acrescentou que no dia seguinte as calçadas ficam sujas devido ao consumo de bebidas, comidas e demais produtos.
Outro morador, que também pediu anonimato, confirmou as queixas do primeiro entrevistado e contou que o barulho atrapalha muito durante a noite. “Já cheguei a ficar até as 2 horas acordado, esperando pararem com o barulho”, protestou.
Fora essa situação, os entrevistados informaram que a maioria das casas é de moradores idosos, que precisam de um tempo maior de descanso, mas com a vida noturna da avenida, esse repouso fica comprometido. “Minha mãe tem 84 anos e tem problema de saúde. Ela já não dormia bem, agora muito menos”, lamentou outro residente do bairro.
Os entrevistados afirmaram que já recorreram à prefeitura e à polícia em razão da Lei do Silêncio, mas não obtiveram solução. Eles ainda esperam um posicionamento das autoridades.”Não sabemos mais o que fazer. Já tive que ir para casa de parentes para conseguir dormir”, finalizou um dos moradores.
A Prefeitura de Suzano informou que o Departamento de Fiscalização de Posturas já está ciente da situação e vai tomar as medidas necessárias. Ainda de acordo com o departamento, todos os estabelecimentos denunciados pelos moradores já foram fiscalizados quanto às licenças e alvarás de funcionamento. No entanto, nenhum deles foi notificado ou autuado, pois toda a documentação está em dia. O Executivo não informou sobre a aplicação de multas e demais autuações aos proprietários de bares.
Lei do Silêncio
A Lei Complementar Municipal de Suzano, número 312, artigo 53, prevê a análise do grau de incomodidade e diz, no inciso I, que a poluição sonora “é decorrente de atividade que apresentam conflitos de vizinhança, devido ao impacto sonoro que produzem, atingindo os estabelecimentos e residências localizadas no seu entorno”.
Ainda de acordo com a lei, as causadoras de incomodo são “atividades realizadas com animais ou de locais com grande concentração de pessoas ou, ainda, pela utilização de máquinas, utensílios ruidosos, aparelhos sonoros ou similares”.
Com Informações: Portal News
Fechar Menu