Polícia de Suzano vai investigar denúncia de assédio sexual que envolve ex-técnico de natação

Mãe da adolescente apresentou para a polícia vídeos de partes íntimas do suspeito, que ele teria enviado para o celular da filha.

Polícia Civil de Suzano vai investigar uma denúncia de assédio sexual que envolve um ex-técnico de natação da Prefeitura. Na tarde desta terça-feira (18) ele foi até a Delegacia Central para prestar depoimento e depois foi liberado.

A mãe da adolescente, de 14 anos, está indignada com a situação e prefere não ter a imagem revelada. O ex-técnico teria assediado a adolescente dentro do Complexo Poliesportivo Paulo Portela, onde os treinos são realizados e, depois, por redes sociais.

“O teor das mensagens é de baixo calão e menciona o corpo dela, as curvas do corpo dela, apesar de ela ainda ser uma menina. Com insinuações de que queria pegá-la”, conta a mãe da adolescente.

Para a polícia, o ex-técnico disse que estava tentando um relacionamento com a jovem. É o que explica o delegado Edson Gianuzzi. “A princípio ele diz que estava, de certa forma, tentando um relacionamento com a moça, mas é lógico que ele vai dizer, como disse, que houve uma recíproca. Estamos tendo o cuidado de ouvir todos os envolvidos”.

Em uma das conversas por aplicativo de mensagem o ex-técnico diz perceber que a garota não reagiu bem, e se afastou dela. Depois, a mãe já se passando pela filha pergunta se ele lembra do dia que ele falou que ela tinha um ‘corpão’, além de outras coisas. Ele responde que sim.

A mãe da adolescente apresentou para o delegado vários vídeos de partes íntimas do suspeito, que ele teria enviado para o celular da filha. Em outra conversa ele diz que, se ela quisesse, mandaria mais arquivos. E pede para ela mandar algum também.

A adolescente foi a Delegacia prestar depoimento e estava muito abalada. A mãe fala sobre o comportamento da filha. “Eu já vou marcar uma psicóloga, já vou ver com o convênio médico para marcar. Ela está inerte desde o fim de semana, que foi quando ela me contou tudo. Ela não quis ir ao treino. Ela está totalmente arrasada porque ela mesma disse para ele, na mensagem, que ela tinha a ele como um pai”, conta a mãe da jovem.

As investigações partiram da Prefeitura de Suzano. Secretários e diretores realizaram uma operação junto com a Polícia Civil. O ex-técnico vai ser investigado por assédio sexual e o delegado responsável pelo caso já apreendeu o celular dele. O aparelho vai passar por uma análise e, dependendo do resultado, ele pode ser indiciado por outros crimes.

“Será preciso verificar se, além desse enquadramento, além dessa conduta dele, existiram outras. Assim, as penas poderão ser somadas e ele indiciado em inquérito. Por enquanto, identificamos assédio sexual e importunação ofensiva ao pudor, que é uma contravenção penal”, conclui Gianuzzi.

Para a mãe da adolescente, o ex-técnico jamais poderia ter feito insinuações a uma jovem de 14 anos. “Uma relação de confiança da qual realmente ele não teve a moral, a dignidade. Ele não foi um homem honrado para fazer realmente o que é o papel dele, que é ser um técnico. Se ele realmente tinha desejos, que fosse sanar os desejos dele com outra mulher. Uma mulher maior de idade, não a minha filha”, desabafa a mãe da adolescente.

A Prefeitura de Suzano disse que determinou a abertura de uma sindicância para averiguar as circunstâncias do possível caso de assédio sexual envolvendo a aluna de natação. E que o ato teria sido cometido por um ex-técnico de natação que deixou de prestar serviços no Complexo Poliesportivo Paulo Portela em dezembro do ano passado. A apuração, inclusive, vai verificar a responsabilidade de quem permitia o livre acesso do professor nas dependências do ginásio.

Com Informações: G1 Mogi das Cruzes e Suzano

Deixe uma resposta

Fechar Menu