Passageiros de vans em Suzano reclamam da falta fiscalização; Prefeitura reconhece quadro reduzido de fiscais
Foto: Reprodução/TV Diário

Passageiros de vans em Suzano reclamam da falta fiscalização; Prefeitura reconhece quadro reduzido de fiscais

Transporte complementar de vans é regulamentado desde 2007 e fiscalização é feita pela Diretoria de Transportes, Assuntos Viários e Mobilidade Urbana.

O transporte complementar de vans em Suzano é uma alternativa para o passageiro que precisa se deslocar todos os dias para trabalhar, estudar ou até mesmo para o lazer. Esse tipo de transporte é regulamentado na cidade desde 2007 por uma lei municipal. No entanto, os passageiros reclamam da estrutura e a prefeitura reconhece a falta o baixo efetivo de fiscais.

De acordo com o documento de regulamentação, a fiscalização deve ser feita pela Diretoria de Transportes, Assuntos Viários e Mobilidade Urbana. Segundo o documento, o embarque e desembarque de passageiros deve ser em locais seguros, mas não foi o que a equipe do Diário TV flagrou perto da estação da CPTM.

“Como eu estou grávida, às vezes não arrumam lugar, aí eu vou em pé, porque ninguém dá lugar. A Prefeitura não fiscaliza isso não, tem cobrador que é mal educado, que te trata como se tivesse pedindo, sendo que você não está pedindo, está pagando e caro, né”, conta Gislaine do Nascimento Silva, atendente.

O governo municipal reconhece que em alguns pontos a legislação chega a ser confusa e atrapalha a fiscalização. Por exemplo, cada van pode transportar até 16 pessoas sentadas. Não proíbe o transporte de pessoas em pé, fala apenas que não é permitido o excesso de lotação.

“Embora tenha um quadro reduzido de fiscais, a gente acaba não conseguindo fazer por exemplo fiscalização embarcada, a gente tem uma dificuldade por conta do número de veículos e a quantidade de fiscais. mas a gente faz principalmente de acordo com a demanda de reclamações”, explica Rafael Martins Pacheco, coordenador da Secretaria de Transporte e Mobilidade Urbana.

Hoje 147 vans circulam pela cidade, todas que estão nas ruas foram vistoriadas e aprovadas pela prefeitura, mesmo com mudanças no interior. Pacheco reconhece que o número de fiscais é pequeno para acompanhar de perto o transporte complementar e orienta que o próprio passageiro ajude neste trabalho, ligando para a prefeitura e que ninguém é obrigado a usar as vans.

“Só aumentando a oferta de transporte público que a gente vai conseguir satisfazer a demanda atual dos passageiros. Os meus contatos são rígidos especificado de ônibus e número também especificado de vans, ele é limitado e não me dá margem para aumentar o número de carros por hora”, finaliza Pacheco.

Denúncias sobre irregularidades no transporte alternativo de Suzano podem ser feitas no telefone 4746-1166 ou para a ouvidoria do município no número 0800 774 2007.

Com Informações: G1 Mogi das Cruzes e Suzano

Fechar Menu