Parklets seguem como projeto experimental em Suzano
Estrutura é utilizado por alguns comércios na região centralFoto: Sabrina Silva/Divulgação

Parklets seguem como projeto experimental em Suzano

Estrutura visa maior conforto em um ambiente externo alternativo para a clientela dos estabelecimentos

A implantação dos parklets em frente a bares e restaurantes de Suzano segue como projeto experimental junto aos comerciantes. A estrutura visa maior conforto em um ambiente externo alternativo para a clientela dos estabelecimentos.
Desde o ano passado a administração municipal estuda a possibilidade de um projeto de lei específico que regulamente a construção, assim como já acontece na capital paulista.
A Secretaria de Planejamento Urbano e Habitação informou, ainda em meados de 2017, que a regulamentação dos parklets seria viabilizada por meio de projeto de lei. Atualmente, o documento segue em revisão no departamento jurídico para os ajustes legais da norma. Desta forma, a instalação das estruturas não regulamentadas se dá em caráter experimental na cidade, sem a cobrança de taxas.
Comércios
Embora sem tramitações oficiais para tal instalação, ao menos três estabelecimentos endereçados na região central contam com a construção de madeira, que abriga os fregueses que desejam ocupar o espaço alternativo durante o consumo na casa. Dois deles estão na Rua 15 Novembro, logo a frente de um restaurante de culinária japonesa e um bar.
Ambos costumam receber a clientela na estrutura durante as noites, sobretudo aos finais de semana.
Já na Rua Presidente Rodrigues Alves, Walter Roberto de Oliveira comemora os resultados que tem obtido junto aos clientes da Pizzaria Pague Pouco.
O empresário optou pela novidade há cerca de um ano, desde então já implementou o espaço com mais mesas e cadeiras, além de ombrelones que oferece maior conforto ao proteger o arranjo contra o sol e a chuva.
O atrativo fez com que o estabelecimento estendesse o horário de funcionamento até a meia-noite. “Se não tivéssemos os parklets o ambiente interno ficaria pequeno para atender à demanda. Essa é a nossa segunda opção de espaço, mais tranquilo”, disse Oliveira que também costuma servir almoço na localidade. Para ele, o ambiente é cuidado com zelo e por isso não tem atrapalhado o fluxo na rua e nem mesmo se tornado alvo de vandalismo ou eventuais cobranças do poder público. “Só recebo elogios.
O espaço deve passar por mais algumas reformas. Mas, por hora, não planejo expandir para não ocupar vagas de estacionamento da Zona Azul”.
Com Informações: Diário de Suzano
Fechar Menu