Escola Raul Brasil, em Suzano, volta a dar conteúdo a alunos e define formas de comunicação com os pais
Coordenador de gestão da educação básica da Secretaria de Estado de Educação, Caetano Siqueira, falou sobre os próximos passos para o Raul Brasil. — Foto: Maiara Barbosa/G1

Escola Raul Brasil, em Suzano, volta a dar conteúdo a alunos e define formas de comunicação com os pais

Reunião na manhã de quarta-feira acertou canais de comunicação. Conteúdo volta de forma gradativa e sem cobrança de presença dos estudantes.

Nesta quarta-feira (3), uma reunião definiu os canais de comunicação entre os pais de alunos e a direção da Escola Raul Brasil em Suzano.

Os pais se reuniram na porta da escola na manhã desta quarta-feira para cobrar a divulgação de informações sobre a volta às aulas, faltas e calendário de provas.

No dia 13 de março, um massacre matou sete alunos e funcionários do colégio e deixou 11 feridos.

O coordenador de gestão da educação básica, Caetano Siqueira, e a diretora Sônia Aparecida dos Santos conversaram com os pais por quase duas horas.

“Hoje combinamos os canais de comunicação com os pais. Eles devem ligar ou mandar um email para o agendamento do atendimento. Assim, a escola pode organizar tanto o controle de entrada como o controle de comunicação. Também teremos uma lista de transmissão via WhatsApp e uma lista de email da comissão de pais. Tudo para termos um contato direto”, explica Siqueira.

O coordenador informou que três professores da escola entraram de licença e, por isso, um edital para professores eventuais foi aberto.

Já sobre a retomada do repasse de conteúdo didático nas aulas e as faltas, Siqueira destacou que é preciso uma avaliação constante.

“Os professores conhecem os alunos e vão julgar se podem retomar conteúdo ou fazem uma transição com atividades de acolhimento. Ou mesclam essas duas maneiras de atividades em sala de aula. Confiamos nos nossos professores e que eles agirão da melhor maneira possível.”

Já sobre as faltas, ele disse que é necessário um olhar individual para cada aluno. “Estamos respeitando ao máximo o tempo de alunos e professores. Não sei dizer se vai contar falta ou não,. Foi uma situação que nunca aconteceu e a gente está analisando cada caso. Estamos entrando em contato com as famílias para identificar os casos, entender e apoiar. É muito mais é um momento de acolhimento do que ver se vai ter falta.”

Sandra Perez é professora de língua portuguesa há 30 anos, sendo que 20 deles na Escola Estadual Professor Raul Brasil.

Ela afirmou que é preciso calma e paciência neste momento. Para a professora, os alunos já demonstram interesse no retorno do conteúdo. “Desde a semana passada eles já estavam pedindo aulas. Nós percebemos que já havia um certo controle de toda essa situação para retomar a rotina do nosso aluno. Hoje teve aula. Eu ministrei cinco aulas aos terceiros anos e percebi um clima legal.”

Sandra destacou que é preciso sempre ter em mente que nada será como antes. “Eu dei uma palavra com eles antes do início da aula, porque a gente não pode seguir o mesmo ritmo. Não dá mais para ser a mesma coisa, mas a gente precisa retomar. Começa com uma conversa, um acolhimento e eles conseguiram retomar o conteúdo de reescrita dos textos que nós estávamos fazendo.”

Uma nova reunião acontece na noite desta quarta-feira. Desta vez a pauta é a segurança na escola. Pais e representante da Secretaria de Justiça vão se reunir na unidade.

Com Informações: G1 Mogi das Cruzes e Suzano

Fechar Menu