Motoristas escolares querem atuar no transporte alternativo
Foto: Arquivo do Mogi News

Motoristas escolares querem atuar no transporte alternativo

Sem aulas nas escolas desde março, categoria espera liberação da Prefeitura para trabalhar e compensar perdas. Na Câmara Federal, um projeto semelhante tramita atualmente. A proposta foi apresentada pelo deputado Delegado Waldir (PSL-GO), e também é uma resposta à crise econômica decorrente da pandemia.

A Prefeitura de Mogi das Cruzes recebeu o pedido para que seja concedida licença temporária aos transportadores escolares para prestação de serviços de transporte alternativo durante o período em que as escolas permanecerem sem receber alunos, devido à pandemia do coronavírus.
A solicitação da categoria de transportadores escolares foi formalizada pelo vereador Diego de Amorim Martins (MDB), o Diegão, por meio de indicação aprovada em plenário na última terça-feira.
Para a categoria, a liberação para atuar junto ao transporte alternativo é considerada viável e necessária durante a paralisação de suas atividades. Claudia Satornino Camara, representante da comissão dos motoristas de transporte escolar de Mogi das Cruzes, afirma que a categoria está disposta a atuar em diversos setores da sociedade e que acredita em uma adesão em massa dos integrantes da categoria caso tal possibilidade seja viabilizada, uma vez que diversos motoristas enfrentam dificuldades financeiras.
“Nós precisamos trabalhar e estamos abertos para atender um setor em que haja essa possibilidade e necessidade. O fato de não estarmos trabalhando por tanto tempo interfere no financeiro e no psicológico e essa mudança nos ajudaria em diversos aspectos”, afirmou Cláudia.
Tão importante quanto ajudar os motoristas escolares durante o período de pandemia, o vereador se pautou na superlotação registrada por ele no transporte público para formular a indicação à administração municipal.
“Tenho sido procurado por vários munícipes que utilizam transporte coletivo para se locomover para casa ou trabalho e muitos têm reclamado que, apesar do incremento de 61% da frota circulante, em alguns horários específicos os ônibus continuam circulando lotados”, justificou. Martins confirma que acredita ser importante que a Prefeitura se reúna e debata essa possibilidade junto aos motoristas escolares. “A gente está vendo o transporte lotado e as vans do transporte escolar paradas e é uma ótima solução. Seria juntar o útil ao agradável, fazendo Justiça com a categoria”, afirmou.
Prefeitura
A Secretaria Municipal de Transportes informou que a administração municipal vem conversando com os representantes das vans escolares e, como fruto dessas reuniões, foi concedido à categoria maior prazo para o pagamento de tributos, como o Imposto Sobre Serviços (ISS) e da vistoria municipal. “A administração se mantém à disposição do setor, inclusive para orientações sobre linhas de crédito disponíveis e outras ações de apoio à categoria”, garantiu em nota.
Na Câmara Federal, um projeto semelhante tramita atualmente. A proposta foi apresentada pelo deputado Delegado Waldir (PSL-GO), e também é uma resposta à crise econômica decorrente da pandemia.
Com Informações: Portal News
Fechar Menu