Morre, aos 88 anos, a cantora e acordeonista Adelaide Chiozzo
Foto: Tv Cultura/Divulgação

Morre, aos 88 anos, a cantora e acordeonista Adelaide Chiozzo

Ela trabalhou durante décadas na Rádio Nacional e foi estrela dos filmes da Atlântida. Adelaide também interpretou vários clássicos da música como “Beijinho Doce”.

Morreu nesta quarta (4), aos 88 anos, no Rio de Janeiro, em decorrência de uma pneumonia, a atriz e acordeonista brasileira Adelaide Chiozzo. Ela integrou o elenco de cantoras famosas da Rádio Nacional, da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), onde trabalhou por 27 anos.

A cantora participou de vários programas na Rádio Nacional, entre os quais “Alma do Sertão” e “Gente Que Brilha”. Foi estrela da empresa Atlântida Cinematográfica, onde atuou em vários filmes em parceria com a atriz Eliana, entre os anos de 1947 e 1975.

Cinelândia

Em sua página no Facebook, o radialista Osmar Frazão, da Rádio Nacional, se despediu da cantora. “Nossa amada cantora Adelaide Chiozzo parte para o mundo de esplendores. Bonita e cativante no rádio, na música e no cinema nacional. Uma das estrelas do Baile da Cinelândia. Uma saudade boa de sentir!”.

De acordo com o Dicionário Cravo Albin de Música Popular Brasileira, Adelaide fez sua estreia no cinema em 1946, na comédia “Segura esta mulher” ao lado do pai, Afonso Chiozzo. Sua música de maior sucesso foi Beijinho Doce.

Ela nasceu em São Paulo no dia 8 de maio de 1931. Foi casada com o violonista Carlos Matos e teve uma filha, Cristina Chiozzo.

Com Informações: O Tempo

Fechar Menu