Mogi tem primeiras três mortes com suspeita de Covid-19 e anuncia hospital de campanha
Foto: Reprodução/Facebook

Mogi tem primeiras três mortes com suspeita de Covid-19 e anuncia hospital de campanha

Secretaria Municipal de Saúde ainda aguarda exames para confirmação. Hospital deve ser instalado perto do Ginásio Municipal com 160 leitos.

Com Informações: G1 Mogi das Cruzes e Suzano

Mogi das Cruzes divulgou nesta terça-feira (24) as primeiras três mortes com suspeita de coronavírus e anunciou que vai fazer um hospital de campanha. Santa Isabel também divulgou na segunda uma morte suspeita.

De acordo com o secretário de saúde Henrique Naufel, dois dos pacientes mortos tinham 62 anos de idade, enquanto outro tinha 56. Eles estavam internados em diferentes hospitais da cidade.

“[Em] um deles havia uma comorbidade anterior, mas dois evoluíram muito rapidamente. Já tinham algum tempo de internação e evoluíram muito rapidamente”. Ele explica que os resultados ainda não saíram, mas que os três pacientes tinham sintomas da Covid-19.

“Havia tomografia sugestiva, porém o laboratório ainda não nos deu negatividade ou positividade, para que a gente possa dizer”, comenta.

Hospital de Campanha

A Prefeitura decidiu que vai montar um hospital de campanha para oferecer 160 leitos de enfermaria para os pacientes com Covid-19 depois que eles deixarem a UTI. Então, serão deslocados para essa unidade para se recuperarem integralmente.

“Nós estamos há quatro dias pensando no melhor local e na melhor maneira de suprir os leitos necessários. Nós temos leitos que são de enfermaria, que são possíveis de reveter em UTI sem ter que destruir parede, fazer rede de gás. Por isso eles serão transformados em leitos de UTI”, diz o secretário municipal de Saúde, Henrique Naufel.

Para que seja possível aumentar a quantidade de leitos de UTI, é preciso ter o hospital de campanha. “Nós vamos utilizá-los como leitos de enfermaria para continuidade do tratamento do paciente que teve alta da UTI e precisa apenas continuar seu tratamento por alguns dias”, detalha o secretário.

O secretário afirmou que o orçamento está em fase adiantada e estão sendo dimensionados materiais, medicamentos e feito o recrutamento de mão de obra, que será remanejada das unidades básicas de saúde, onde o movimento já foi reduzido. O prefeito afirmou que, por enquanto, não haverá contratação de profissionais de saúde.

“Caiu muito o movimento graças a Deus e a gente vai poder redimensionar para o hospital de campanha para que, se vier a onda que a gente espera, a gente tenha os leitos de UTI necessários e os leitos de retaguarda”, afirma o secretário.

Pelo planejamento, o hospital de campanha será próximo do Ginásio Municipal, no Mogilar. “A ideia era fazer no ginásio, mas ali poderia ser acanhado. O ginásio acaba sendo um ótimo suporte para o hospital e pode ser um plano B se precisar ampliar. Já tem uma área ampliada. Já está limpo e pronto para fazer. A estrutura embaixo da arquibancada é ótima para almoxarifccado, farmácia, apoio para lanchonete”, diz.

Leitos

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, entre leitos particulares e públicos, a cidade conta com 69 entre esta terça e quarta. “Se houver necessidade a gente pode transformar em 130. Estamos correndo atrás de mais pelo menos 80, 81 leitos de UTI. A gente tem capacidade, a gente precisa só dos ventiladores e monitores”.

O prefeito Marcus Melo afirmou que esse tem sido o maior desafio de todo o Brasil: conseguir respiradores. “Nós fomos buscar no mercado, não achamos. Conseguimos 23”, disse.

Melo ainda afirmou que o município ainda não recebeu nenhum apoio financeiro do governo federal e ressaltou a importância de as pessoas ficarem em casa.

“Não saia de casa a não ser que vá comprar comida, ou algum alimento, a não ser que tenha que sair para uma emergência de saúde. Tem muita gente trabalhando, muita gente que precisa continuar trabalhando e muitas dessas pessoas também gostariam de ficar em casa. Em respeito a essas pessoas, principalmente aos profissionais de saúde, fiquem em casa.”

Henrique Naufel foi taxativo sobre essa recomendação. “Muita gente não está levando a sério o que a gente falou. Você que tem saúde, cuide dos mais velhos. Vocês estão circulando como se não houvesse nada. Fiquem em casa”, disse.

“Faça a sua parte. Eu estou pedindo isso todos os dias. Nós não estamos brincando. O que vocês viram de relato da Itália é fato, não é fake, do médico ter que escolher se entuba fulano ou beltrano, nós não somos Deus e nem queremos ser”, continuou.

Fechar Menu