MOGI – Obra da Maternidade Municipal terá início no dia 19 deste mês
Foto: Mariana Acioli

MOGI – Obra da Maternidade Municipal terá início no dia 19 deste mês

O equipamento será construído ao lado do Hospital Municipal de Mogi das Cruzes (HMMC), localizado no distrito de Braz Cubas, em terreno que foi ocupado pelo antigo Fórum do distrito. Ao todo, a Maternidade deverá garantir a realização de até 500 partos por mês.

A construção da Maternidade Municipal terá início no próximo dia 19, com o lançamento da pedra fundamental. A informação foi confirmada pela Secretaria de Saúde.
No final do mês passado, o consórcio CDG/Saliah foi vencedor da licitação, tendo apresentado o valor de R$ 35 milhões para a construção do novo equipamento. A proposta estipulada pela prefeitura foi de R$ 50 milhões e houve recurso durante o processo licitatório por parte de uma das empresas participantes do certame, a Collet Engenharia. Por conta disso, a data de início das obras foi alterada para este mês. A previsão da prefeitura era de ter iniciado os trabalhos na primeira semana desse mês.
O equipamento será construído ao lado do Hospital Municipal de Mogi das Cruzes (HMMC), localizado no distrito de Braz Cubas, em terreno que foi ocupado pelo antigo Fórum do distrito. Ao todo, a Maternidade deverá garantir a realização de até 500 partos por mês e contará com toda estrutura necessária para atender as futuras mães, como 51 leitos, dez leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal, dez leitos para cuidados intermediários, UTI Adulto e Centro Obstétrico.
A estrutura da Maternidade será formada por sete pavimentos, sendo contemplada com algumas novidades, como a implantação do programa Mãe Mogiana (programa de acompanhamento de pré-natal dentro da maternidade) e de três quartos para a realização de partos humanizados”.
O parto humanizado é o método menos “medicalizado” e, segundo o secretário de Saúde de Mogi, Francisco Bezerra, o hospital contará com estrutura para tal. “Teremos três leitos de parto humanizado e as gestantes terão uma sala especial com uma cama que se transforma em um equipamento para fazer o procedimento, como se fosse uma mesa cirúrgica”, disse.
Além do térreo e de um subsolo, a futura maternidade será formada por cinco andares. O térreo abrigará o Mãe Mogiana e terá atendimentos de emergência, recepção e área que dará acesso à Maternidade. Já o subsolo será contemplado com um estacionamento com 33 vagas. No primeiro andar será a área de setorização, ou seja, área de diagnósticos, além de contar com um banco de leite. Já o segundo andar abrigará uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal e um centro cirúrgico. Ao todo, serão quatro salas de parto, sendo três para parto normal e uma para os casos de cesária e outros procedimentos.
O terceiro andar da maternidade abrigará uma UTI Adulta e uma área de Pré-Parto, Parto e Pós Parto (PPP). Já o quarto andar abrigará uma área de internação e receberá as puérperas (que fizeram parto recente) e mulheres em situação de risco. Por fim, no quinto pavimento, além de internação de puérperas, haverá salas para o “Método Canguru”, aquele que a mãe fica junto ao bebê quando é preciso ficar internado.
Com informações: Portal News
Fechar Menu