MOGI – Historiador Jurandyr Ferraz de Campos morre aos 83 anos
Foto: Diego Barbieri/CMMC

MOGI – Historiador Jurandyr Ferraz de Campos morre aos 83 anos

Personalidade conhecida nos meios acadêmicos mogianos devido as suas pesquisas históricas, o professor Jurandyr Ferraz de Campos foi também um grande divulgador das tradições religiosas e folclóricas da Festa do Divino Espírito Santo de Mogi das Cruzes, da qual foi festeiro em 1989.

O professor e historiador Jurandyr Ferraz de Campos, de 83 anos, morreu nesta quinta-feira (17). Segundo amigos do professor, ele estava internado há alguns dias em um hospital em São Paulo.

Campos foi um estudioso da cidade de Mogi das Cruzes, deu aulas na Universidades de Mogi das Cruzes e ocupou o cargo de secretário Municipal de Cultura e Meio Ambiente entre 2000 e 2004.

Nascido em Caçapava em 7 de setembro de 1936, Campos recebeu o título de cidadão mogiano em agosto desse ano.

Campos era membro fundador da Academia Mogicruzense de História, Artes e Letras (AMHAL).

O presidente da AMHAL e também historiador, Glauco Ricciele, destaca a atuação de Jurandyr Ferraz de Campos em Mogi das Cruzes. “Um dos maiores legados dele são os livros e pesquisas sobre a história colonial de Mogi e a Festa do Divino. Ele tem um grande peso para a história da cidade nos últimos 30 anos uma atuação fantástica nos campos religioso, cultural e preservação do patrimônio histórico e saberes”, afirma Ricciele.

Jurandyr Ferraz de Campos atuou também no Banco do Brasil de 1959 até 1989, quando se aposentou.

Paralelamente às atividades profissionais junto a agência bancária local, atuou como professor da Universidade de Mogi das Cruzes (UMC) nas disciplinas história econômica e história do pensamento econômico, de 1969 a 1986; paleografia, de 1992 a 1997; história econômica, em 1994 e antropologia cultural de 1996 a 1998.

Ministrou cursos organizados pela Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Mogi das Cruzes sobre paleografia colonial brasileira nos anos de 1987, 1988, 1993 e 2002.

Ele também foi diretor do Museu de Arte Sacra de Mogi das Cruzes, conforme convênio da Prefeitura de Mogi das Cruzes, Mitra Diocesana, Província Carmelitana de Santo Dias, Ordem Terceira do Carmo e SPHAN, de 1986 a 1988.

Participou do Projeto de Arqueologia da Região da Serra do Itapeti, como responsável pela Coordenadoria dos Levantamentos Históricos, no período de 1989 a 1996.

Ele foi fundador, coordenador e membro do Conselho Editorial de BOIGY, responsável pela publicação dos Cadernos da Divisão do Arquivo Histórico e Pedagógico Municipal de Mogi das Cruzes.

Campos também foi sócio fundador da Associação Mogiana de Paleografia AMP, de 1998 e criador do Projeto Vídeo Memória de Mogi das Cruzes, 1995/96, destinado a registrar em vídeo aspectos culturais, sociais e folclóricos de Mogi das Cruzes e região.

Ele foi sócio fundador da Associação Pró-Festa do Divino e atuou como secretário municipal de Cultura e Meio Ambiente de Mogi das Cruzes, de 2000 a 2004.

Atualmente, Jurandyr era membro da Academia Caçapavense de Letras e da Academia Mogicruzense de História, Artes e Letras (AMHAL).

Com informações: G1

Fechar Menu