‘Minha Casa, Minha Vida’: um sonho distante para o povo da Portelinha, em Suzano
Fotos: Bruno Arib

‘Minha Casa, Minha Vida’: um sonho distante para o povo da Portelinha, em Suzano

A Prefeitura de Suzano diz que as famílias que perderam tudo no incêndio que atingiu a comunidade Portelinha, no bairro Miguel Badra, na manhã da última quarta-feira (10), recebem apoio da Secretaria Municipal de Assistência Social e que, em 20 dias, será feita a entrega dos apartamentos do Residencial Bosque das Flores, no Jardim Europa, para os que vivem na comunidade. O projeto é do programa federal ‘Minha Casa, Minha Vida’.

Uma noite antes do incêndio, moradores da Portelinha dormiram no escuro por conta da chuva e dos ventos. As fiações improvisadas no alto dos barracos deixaram de funcionar e o nível do córrego que corta os fundos da comunidade aumentou, dando margem aos ratos, cobras e baratas.

Na quarta, o dia do incêndio, as casas de Vinicius de Melo, 23 anos, Fernanda Manoela, 19, Matheus Santos Silva, 20, e Tânia Silva, 35, amanheceram em chamas. Botijões, geladeiras, televisores, comida e outros bens perdidos em meio ao incêndio foram jogados no córrego.

O que restou foram os destroços, ferros retorcidos e tantas outras riquezas reduzidas a cinzas. Para apagar as chamas foi preciso montar uma força-tarefa entre vizinhos e familiares que pegavam água do córrego em alguns baldes. Os bombeiros, segundo moradores, demoraram 1 hora para chegar na ocorrência.

DEMORA 

O que ainda faz as famílias viverem na comunidade Portelinha é a demora da Caixa Econômica Federal, em Brasília, em entregar os apartamentos aos moradores da comunidade. Em abril de 2014, iniciou-se a construção do empreendimento Bosque das Flores para as 500 famílias da Portelinha. O condomínio, avaliado em R$ 42,8 milhões, já está pronto, mas vazio.

 PROTESTO 

Revoltados com a lentidão do governo federal em entregar os apartamentos, moradores fecharam a Estrada Mário Covas, que liga Suzano a Itaquaquecetuba, e incendiaram pneus, madeiras e plásticos, parando completamente o trânsito de veículos. A Polícia Militar e os Bombeiros foram acionados e acompanharam o protesto, que só acabou com a chegada de representantes da Prefeitura de Suzano. A administração municipal garantiu que as famílias atingidas pelo incêndio seriam amparadas. Ninguém ficou ferido.

Foto: Bruno Arib

Por Gabriel Dias / Fotos: Bruno Arib

Gazeta Regional

Fechar Menu