Mais de mil perícias médicas deixarão de ser feitas no INSS
Foto: Portal News

Mais de mil perícias médicas deixarão de ser feitas no INSS

Perícias que já estavam agendadas serão mantidas. INSS estima que serviços sejam encerrados no 1º semestre. Os atendimentos serão repassados as APS de Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes e Guarulhos. 

Informações do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) apontam que mais de mil perícias médicas deixarão de ser feitas na Agência da Previdência Social (APS) de Suzano.
Segundo o Instituto, o local realizava, em média, 1.385 perícias médicas por mês. Portanto, mais de mil atendimentos deixarão de acontecer na unidade. No momento, estão sendo realizadas as perícias que já estavam agendadas.
“A agenda atualmente existente será mantida, não sendo remarcadas ou canceladas perícias já agendadas para a cidade. O INSS está deixando de oferecer novas vagas para a unidade de Suzano para além das datas em que já há perícias marcadas”, explica.
Os serviços serão mantidos até o fim desse semestre e os segurados que ligam ou acessam o site do INSS para agendar a perícia, são informados das novas localidades que oferecem o serviço. Os atendimentos serão repassados as APS de Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes e Guarulhos. Dez médicos, que atuavam na APS suzanense, serão transferidos para outras unidades.
OAB
A comissão de Direitos Previdenciários da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) da subseção de Suzano, presidida pela advogada Silmara Feitosa de Lima, lamenta a decisão do INSS e afirma que irá pensar em soluções para reverter os prejuízos que o encerramento do serviço irá causar na cidade.
“Os prejuízos serão grandes, já que os segurados terão que se locomover para outras cidades a fim de realizarem as perícias médicas e muitos sequer possuem meios para isso, sequer tem condições financeiras para pagar pelos meios de transportes”, conta Silmara.
A ideia da presidente é se reunir com a diretoria da OAB de Suzano para propor soluções que beneficiem os segurados, uma vez que, na opinião de Silmara, a decisão de encerrar as perícias na cidade envolve o poder de gestão do próprio INSS.
O presidente da entidade, Wellington Santos, explica que a OAB/Suzano recebeu a informação com muita preocupação. “Embora seja uma decisão administrativa e da competência da agência previdenciária, o referido órgão não pode jamais ignorar o fato que as pessoas que ali estão, muitas vezes, não têm recurso sequer para se alimentar, imagina se locomover as agências das cidades vizinhas”, diz.
Ele também lamenta e comenta que a população carente será penalizada já que terá que arcar com custos maiores para garantir os seus direitos.
Prefeitura mantém diálogo aberto com governo federal
A Prefeitura de Suzano informa que se mantém aberta a diálogos com o governo federal na busca de soluções conjuntas que dizem respeito ao INSS, principalmente nas tratativas para a instalação de uma nova agência em Suzano. “A gestão atual está sempre disponível para dar continuidade a esse processo, com o objetivo de trazer mais conforto ao suzanense e eficiência aos serviços federais prestados no município”.
Sobre o fim das perícias médicas, a Prefeitura entende que a retirada do serviço irá afetar a rotina dos segurados, mas diz que entende o redimensionamento do INSS como uma ferramenta para tornar o serviço mais eficiente.
“O ideal é que qualquer redimensionamento seja feito com base em estudos prévios e siga critérios claros, obedecendo diretrizes que visam atender melhor a população”, afirma.
Com Informações: Diário de Suzano
Fechar Menu