Lisandro verifica falta de remédios no PS e na UBS

O vereador Lisandro Frederico (PSD) questionou a Prefeitura de Suzano sobre os problemas encontrados durante as visitas realizadas ao Pronto-Socorro Central e demais unidades de atendimento em saúde da cidade. A falta de monitores cardíacos na sala de emergência do Pronto-Socorro é outro grave problema.

 
Foto: Divulgação
O vereador Lisandro Frederico (PSD) questionou a Prefeitura de Suzano sobre os problemas encontrados durante as visitas realizadas ao Pronto-Socorro Central e demais unidades de atendimento em saúde da cidade. O parlamentar encaminhou um requerimento ao gabinete do prefeito Rodrigo Ashiuchi (PR), que conta com 12 perguntas.
 
Lisandro visitou o PS Central diversas vezes ao longo de outubro. Além de presenciar as dificuldades enfrentadas por pacientes e servidores, ele conversou com pacientes e ouviu relatos sobre a falta de medicamentos e uma infraestrutura precária.
 
Além das reclamações sobre lâmpadas queimadas e a ausência de tampas nos vasos sanitários, o vereador encontrou problemas de infraestrutura que podem comprometer o atendimento e a oferta de saúde. “Observei pacientes do PS com dores e dificuldades de locomoção sem cadeira de rodas”, descreveu Lisandro. De acordo com os servidores, não há cadeira de rodas em quantidade suficiente.
 
No requerimento, Lisandro pergunta quantas cadeiras de rodas foram adquiridas pela Prefeitura durante os anos de 2016 e 2017; quantos equipamentos do tipo há no PS central e qual é a expectativa de prazo para a compra de novas cadeiras.
 
Ainda durante as visitas, o parlamentar verificou que não há materiais primários nas salas de emergência e de observação, como papel grau cirúrgico, luvas de tamanhos diferentes, luvas hipoalérgicas, algodão, gases, fios de sutura, aventais estéreis, lençóis e até esparadrapos. A previsão de compra destes materiais foi igualmente questionada.
 
A falta de monitores cardíacos na sala de emergência do Pronto-Socorro é outro grave problema.
 
Segundo o relato das equipes, o local conta com oito leitos, porém, apenas um monitor está completo, o que impossibilita o acompanhamento do quadro clínico dos pacientes que precisam de uma maior atenção. 
“Também constatei a falta de diversos medicamentos como antibióticos, antibacterianos, antissépticos e, principalmente, anti-inflamatório, e demais medicações em formato venoso. A população precisa de informações de quando estes remédios serão repostos”, afirmou Lisandro.
 
Outra medicação que está em falta e tem gerado a preocupação dos servidores da saúde é uma substância indispensável para casos de infarto. “Enquanto estava no PS, ouvi médicos afirmando que ao menos dois pacientes dependiam desta medicação naquele dia”, contou o vereador.
 
Já no Posto de Saúde do Jardim Alterópolis, também visitada por Lisandro, a reclamação é a falta de medicações para hipertensão e diabetes. “Há queixas que em alguns postos não têm nem papel para protocolo de senha”, relatou.
 
Com Informações: Portal News

Deixe uma resposta

Fechar Menu