Laudo vai identificar estado de conservação de pirâmide ‘turística’ no Mirante do Sesc
Foto: Regiane Bento/DS

Laudo vai identificar estado de conservação de pirâmide ‘turística’ no Mirante do Sesc

Estudo foi iniciado, mas com a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) ocorreu atraso no processo de contratação. A pretensão é que o local abrigue ainda o Centro de Educação Ambiental e o Centro da Cultura da Paz. 

Suzano deve contratar um laudo técnico para identificar o estado de conservação da antiga estrutura do Mirante do Sesc, em formato de pirâmide (que foi uma caixa d’água da Sabesp). O estudo foi iniciado neste ano, mas com a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) houve atraso no processo de contratação.
A Secretaria Municipal do Meio Ambiente informou que o local onde se encontra o Mirante do Sesc já está definido nos estudos do Plano Municipal de Mata Atlântica como área do Parque Natural Municipal.
O futuro parque chegará até a várzea do Tietê, num total de 1.790.000 metros quadrados. A pirâmide – antiga estrutura do Mirante – tem uma representação importante para os moradores do bairro e, por isso, a possibilidade de ser mantido após o laudo do equipamento.
A pretensão é que o local abrigue ainda o Centro de Educação Ambiental e o Centro da Cultura da Paz. Após isso, haverá a elaboração do projeto em conjunto com as secretarias envolvidas, bem como com o Gabinete do Prefeito, e na sequência as obras poderão ter início.
CONSEG
Na semana passada, o Conselho Comunitário de Segurança (Conseg) do Boa Vista pediu melhorias. O local é alvo de ações de vandalismo, além de ser palco para descarte de lixo.
A reivindicação é antiga. Segundo o presidente do Conseg Boa Vista, Ebert Bola, o mirante teria de ser revitalizado. “Só queremos saber se haverá revitalização no local”, disse. O tempo transformou o que seria um ponto turístico no município, em um local perigoso, frequentado por usuários de entorpecentes. “Está muito feio e abandonado. Está até perigoso passar por ali”, disse Bola.
Ge Farina é dono de uma oficina mecânica, bem próximo mirante. Ele diz que o lugar poderia se transformar muito além do que apreciar a vista da cidade. “Era um lugar bonito e que muitas pessoas frequentavam. Poderia fazer uma exposição de arte no prédio, cada vez um artista, com estacionamento”, disse o mecânico. José Francisco, dono de uma padaria no Sesc, também lembra como era o lugar antigamente e lamenta a forma em que se encontra atualmente. “Era um ótimo ponto turístico. Tudo limpo e bonito. Agora o que você vê isso aí. Seria muito bom dar uma arrumada aqui. Realmente a pirâmide está abandonada”, opinou.
Valdira de Souza também trabalha nas proximidades do local. Ela reclama que existe muito pernilongo no lugar, além da falta de segurança. “Seria ótimo. Vai limpar e acabar com os pernilongos. Vai acabar trazendo segurança, porque ficou muito perigoso”, disse Valdira.
A comerciante conta a pirâmide é usada como moradia para algumas pessoas. “Tem gente que mora ali dentro. Tinha que arrumar algum lugar para eles. Eles não mexem conosco, mas não é lugar para morar”, finalizou.
Prefeitura
A Prefeitura de Suzano informou que o local está definido nos estudos do Plano Municipal de Mata Atlântica como área do Parque Natural Municipal. O local será estendido até a várzea do Rio Tietê, totalizando 1.790.000 metros quadrados.
A estrutura em formato de pirâmide tem grande importância para moradores do bairro. Por isso, a pasta informou que está sendo realizado um estudo para definir o atual estado de conservação. Contudo, devido a pandemia do coronavírus, acabou havendo um atraso no processo de contratação.
Segurança 
Outra ação sugerida por Ebert Bola é a construção de uma base da Guarda Civil Municipal de Suzano (GCM) no bairro. A intenção é trazer uma sensação de segurança para os moradores do bairro. Caso não seja possível, Bola sugere que as instalações do Centro Cultural do Sesc para treinamentos da Ronda Ostensiva Municipal (Romu). “Fazendo isso, a região norte ficaria mais vigiada. Você vê bases da GCM no Centro da cidade, mas por aqui não existe nenhuma base. Com certeza traria uma sensação de segurança para nós”, explicou. A Secretaria de Segurança Cidadã de Suzano informou não há um projeto para instalação de uma base fixa no bairro e reforçou que o Sesc conta um forte patrulhamento da Guarda Civil Municipal. As denúncias podem ser feitas 24 horas por dia pelos telefones 153 e pelo 4746-3297.
Com Informações: Diário de Suzano
Fechar Menu