Jardim Brasil reclama de poeira em ruas sem asfalto
Balconista de um mercadinho, Regina dos Santos, disse que está cansada da situaçãoFoto: Sabrina Silva/Divulgação

Jardim Brasil reclama de poeira em ruas sem asfalto

Enquanto aguardam as ruas serem asfaltadas, que há anos esse serviço é cobrado, os moradores e comerciantes do bairro precisam passar o dia com espanador, pano e água na mão para evitar o acumulo de poeira

Moradores e comerciantes do Jardim Brasil, localizado no Distrito de Palmeiras, em Suzano, vivem dias de sertão. Com a falta de chuva e sem asfalto nas ruas, que são de terra batida, a poeira invade todos os imóveis do bairro e obriga a população a passar o dia inteiro fazendo limpeza.
A Secretaria Manutenção e Serviços Urbanos informou que as vias do bairro estão dentro do cronograma de melhorias urbanas da Prefeitura.
Enquanto aguardam as ruas serem asfaltadas, que há anos esse serviço é cobrado, os moradores e comerciantes do bairro precisam passar o dia com espanador, pano e água na mão para evitar o acumulo de poeira.
A balconista de um mercadinho, Regina dos Santos, disse que está cansada da situação. “Não vence de ficar limpando as prateleiras e o chão do estabelecimento. Praticamente passo o dia inteiro fazendo isso, pois ônibus passam pela rua e a poeira sobe tudo. Complicado o que passamos, ainda mais quando fomos a Prefeitura reclamar e disseram que o bairro já constava como asfaltado”, lamentou.
Por outro lado, a autônoma Maria Jucileuda comentou que até mesmo quando chove as condições das ruas ficam terríveis para andar. “Como as vias são de terra batida, se não chove fica toda essa poeira, que prejudica com certeza a saúde, principalmente para aqueles que têm problemas respiratórios. Já quando chove as ruas fica pura lama, onde os veículos não conseguem trafegar”, argumentou.
O soldador Roberto Lemos falou que também há problemas com esgotos a céu aberto. “Água escorre por esse chão de terra e fica em contato direto com a população. O mau cheiro também é complicado, chega a dar até náuseas”, completou.
Com Informações: Diário de Suzano
Fechar Menu