Governo recomenda que Ferraz, Itaquá e Mogi regridam para a fase vermelha do Plano SP
Foto: Governo do Estado de São Paulo/Divulgação

Governo recomenda que Ferraz, Itaquá e Mogi regridam para a fase vermelha do Plano SP

As outras sete cidades do Alto Tietê continuam na fase amarela

O Governo de São Paulo recomendou que Ferraz de Vasconcelos, Itaquaquecetuba e Mogi das Cruzes regridam da fase amarela para a fase vermelha do Plano São Paulo. No entanto, as outras sete cidades do Alto Tietê continuam na fase amarela. O anúncio foi feito, nesta sexta-feira (15), pelo secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi.

Questionado sobre a região metropolitana continuar na fase amarela e não regredir para a fase laranja devido a ocupação de 69% dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), Marco Vinholi afirmou que o governo age de acordo com as necessidades. Inclusive, o secretário recomendou que oito municípios retornassem para a fase vermelha. “Nós trabalhamos com critérios técnicos e objetivos. A capacidade hospitalar colocada não atingiu o índice que levaria a região para a fase laranja. O governo age rapidamente assim que necessário, assim como nesta sexta, adiantando a reclassificação de sete regiões. Além disso, adiciono que oito municípios da região metropolitana foram recomendados para voltar a fase vermelha e aumentar suas restrições. São eles Carapicuíba, Embu das Artes, Ferraz de Vasconcelos, Franco da Rocha, Itapecirica da Serra, Itaquaquecetuba, Mairiporã e Mogi das Cruzes”, frisou Marco Vinholi durante coletiva de imprensa do governo do Estado.

Por outro lado, as outras sete cidades do Alto Tietê seguem na fase amarela. São elas: Arujá, Biritiba Mirim, Guararema, Poá, Suzano, Salesópolis e Santa Isabel.

A fase amarela permite 40% de ocupação para atividades não essenciais, com expediente de até dez horas diárias para restaurantes e 12 horas para as demais. O atendimento presencial deve ser encerrado às 22h em todos os setores. Nos bares, as portas devem fechar ao público mais cedo, às 20h. Eventos que geram aglomeração, como festas, baladas e shows continuam proibidos.

Com Informações: Diário de Suzano

Fechar Menu