Globo promove falso estupro e exposição de vídeo íntimo em Segundo Sol: “Desserviço”
Foto: Reprodução

Globo promove falso estupro e exposição de vídeo íntimo em Segundo Sol: “Desserviço”

A Globo passou de todos os limites e revoltou os telespectadores da novela Segundo Sol no capítulo desta quinta-feira (27). Na ocasião, o autor João Emanuel Carneiro promoveu cenas que foram consideradas como um desserviço ao país, ou seja, foi de encontro ao bom senso, sem a menor responsabilidade social.

A primeira delas foi ao ar logo no primeiro capítulo, quando ninguém menos que a mocinha da história, Luzia (Giovanna Antonelli), expôs para toda a plateia de um show um vídeo íntimo de Karola (Deborah Secco).

Apesar da personagem não ser flor que se cheire, é no mínimo antiético esse tipo de exposição.

Nos dias de hoje, a divulgação de fotos e vídeos íntimos é considerada como crime e os responsáveis podem [deve] responder por injúria e difamação, além da invasão de dispositivo informático, de acordo com o Código Penal.

Difamação

Art. 139 – Difamar alguém, imputando-lhe fato ofensivo à sua reputação:

Pena – detenção, de três meses a um ano, e multa.

Injúria

Art. 140 – Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro:

Pena – detenção, de um a seis meses, ou multa.

Invasão de dispositivo informático

Art. 154-A. Invadir dispositivo informático alheio, conectado ou não à rede de computadores, mediante violação indevida de mecanismo de segurança e com o fim de obter, adulterar ou destruir dados ou informações sem autorização expressa ou tácita do titular do dispositivo ou instalar vulnerabilidades para obter vantagem ilícita:

Pena – detenção, de 3 (três) meses a 1 (um) ano, e multa.

A revolta do público foi inevitável! Mas pensa que acabou por aí? Logo na sequência, Rochelle (Giovanna Lancellotti) surgiu simulando um falso estupro por parte do seu tio.

Com um discurso empoderador, suas falas foram vistas como uma afronta às mulheres.

“Eu sou uma menina, Roberval! Você é meu tio! Você quis se aproveitar de mim! Isso dá cadeia, sabia? Ele me atacou, me violentou! Ele é um doente, um louco, um tarado!”, disparou, de forma dissimulada, afirmando ainda que as mulheres hoje não permanecem caladas diante de uma situação como essa.

Em um país onde vítimas reais de estupro são desacreditadas diante de acusações verdadeiras, exibir uma cena em que uma personagem cria uma situação como essa por um mero capricho é um tanto desrespeitoso.

As duas personagens citadas aqui possuem caráter duvidoso e isso foi favorável para que o público se mostrasse satisfeito com as situações pelas quais elas foram expostas.

Com Informações: TV Foco

Fechar Menu