Exemplo de greve: motoristas do Japão não cobram passagens

Exemplo de greve: motoristas do Japão não cobram passagens

Motoristas de ônibus do Japão estão dando um exemplo de como se deve fazer greve sem prejudicar a população. Em vez de parar de rodar e deixar os passageiros a pé, eles mandaram a conta para os patrões.

Sim, para protestar contra a insegurança no trabalho, os motoristas cobriram e liberaram as catracas. Eles pegam os passageiros nas paradas, mas não cobram pelo valor das passagens.

A tática incomum de greve começou nesta quarta, 02 e está sendo pratica por motoristas de ônibus do Grupo Ryobi, em Okayama.

A intenção dessa tática inteligente é que a tarifa gratuita impeça os patrões, a imprensa e a opinião pública de alegarem que os trabalhadores estão colocando suas próprias necessidades acima das da comunidade.

Além disso, o site de notícias online Japan Today diz que as viagens gratuitas nos ônibus ajudarão a preservar o relacionamento da empresa com seus passageiros diante de uma companhia rival que oferece viagens mais baratas.

Sucesso

O tempo dirá se a tática é bem-sucedida, mas os resultados já apareceram.

Muitos leitores de mídias sociais estão elogiando os grevistas pelo movimento não convencional, que pressiona os patrões, sem deixar de servir a comunidade.

Ótima ideia para os sindicalistas brasileiros implantarem, não acha?

#AprendeBrasil

Com informações: JapanToday

Fechar Menu