Condemat estuda implantação de escritório comercial na China
Foto: Sabrina Silva/DS

Condemat estuda implantação de escritório comercial na China

China é uma das maiores potências mundiais e tem interesse em investir no Brasil

O Consórcio dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) confirmou nesta quinta-feira (16) que estuda a viabilidade de implantar um escritório do consórcio na China, em parceria com a Câmara de Empresários Chineses no Brasil, com o intuito de estimular a cooperação técnica e comercial.
A China é uma das maiores potências mundiais e tem interesse em investir no Brasil. Já existem tratativas com o Governo de São Paulo para um escritório no País e o Alto Tietê chamou a atenção dos chineses pelas características de desenvolvimento dos municípios (com destaque para o setor industrial) e a articulação regional existente através do consórcio.
Inicialmente, o Condemat assinou uma carta de intenções com o Governo da China e aguarda a documentação para estudo de viabilidade de Termos de Cooperação Técnica, que implicarão em escritórios de representação do Alto Tietê nos municípios de Zhengzhou, capital do Estado de Henan, e de Hangzhou, capital do Estado de Zhejiang.
Os escritórios servirão como apoio técnico e comercial para atender tanto autoridades quanto empresários. Funcionarão, a princípio, com profissionais da Câmara de Empresários Chineses no Brasil. Não haverá qualquer custo para o consórcio.
Como adiantado, toda a parte burocrática ainda está em andamento e a participação do Condemat faz parte de um conjunto de tratativas que incluem acordos de cidade-irmã com três dos 11 municípios consorciados – Guarulhos, Mogi das Cruzes e Suzano.
Previsão
Está prevista a viagem de uma comitiva de representantes das prefeituras e de empresários do Alto Tietê – convidados pela Câmara de Empresários Chineses – para a China no período de 3 a 13 de junho para uma série de audiências com o Governo dos Estados onde funcionarão os escritórios e as cidades-irmãs, assim como visitas à empresas chinesas, em especial, de tecnologia em segurança e destinação do lixo. Como são convidados do Governo chinês, as despesas de traslado, hospedagem e alimentação serão por conta da China. Caberá a cada município e integrantes da comitiva arcar com as passagens de ida e volta.
Com Informações: Diário de Suzano
Fechar Menu