CIDADES – Doação de órgãos diminui 5% no Alto Tietê
Foto: Hospital Municipal de Mogi das Cruzes/PMMC

CIDADES – Doação de órgãos diminui 5% no Alto Tietê

Em todo o Estado de São Paulo, a queda do número de transplantes foi ainda maior: de 8,1 mil para 1,6 mil transplantes no primeiro semestre de 2018 para 2019.

O número órgãos retirados de pacientes que morreram e tiveram a doação autorizada pela família diminuiu 5% no primeiro semestre de 2019 no Alto Tietê, em comparação ao mesmo período do ano passado.

Os dados foram obtidos com exclusividade pelo G1 através da Lei de Acesso à Informação (LAI).

Os hospitais da região realizam a captação de órgãos e os encaminham para transplantes, que são realizados em outros municípios.

Apenas o transplante de córneas é realizado no Hospital Luzia de Pinho Melo, em Mogi das Cruzes.

Em 2018 foram realizados 70 transplantes nos hospitais públicos da região. Já neste ano foram 67 procedimentos.

A Secretaria Estadual de Saúde, via LAI, também informou que em todo o Estado os transplantes também tiveram queda no período.

Os números mostram uma situação ainda mais alarmante: em 2018 foram 8,1 mil e, em 2019, 1,6 mil transplantes.

Cerca de 60% dos transplantes realizados no Sistema Único de Saúde (SUS) são de córnea e o transplante de córnea representa 27% do volume total.

Os procedimentos são realizados em hospitais habilitados junto ao Ministério da Saúde.

A Santa Casa de Mogi das Cruzes também realiza a coleta de órgãos para transplantes, por meio de uma parceria com o Banco de Olhos de Sorocaba (BOS) e com o Instituto Dante Pazzanese.

Segundo o diretor da Santa Casa, Ricardo Bastos, a doação de órgãos pode não somente salvar uma vida como também amenizar o sofrimento e melhorar a qualidade de vida dos doentes.

“Nós temos pessoas que estão fazendo hemodiálise pelos rins terem parado três vezes por semana. Quando você faz um transplante, você restabelece a função do aparelho urinário dessa pessoa. Ela vai ter uma qualidade de vida melhor e vai voltar para o convívio social.”

Na Santa Casa de Mogi, o percentual de familiares que autorizaram a doação de córneas também teve queda no primeiro semestre de 2019, se comparado com o mesmo período do ano passado.

De acordo com os dados divulgados através da Santa Casa, em 2018, 58% dos familiares entrevistados autorizaram o transplante de córneas, já neste ano, apenas 34% das famílias concordaram com o procedimento.

Em 2018 foram 39 entrevistas para explicar sobre o transplante de córneas e, delas, 22 foram bem sucedidas. Já neste ano, 29 famílias foram entrevistas, mas apenas 10 autorizaram o transplante.

Tanto em 2018 quanto em 2019 três pacientes da Santa Casa foram diagnosticados com morte encefálica. No ano passado, porém, duas famílias autorizaram a doação de órgãos e, neste ano, apenas uma concordou com a realização do transplante.

Com informações: G1

Fechar Menu