Charles Aznavour, ícone da música francesa, morre aos 94 anos

Charles Aznavour, ícone da música francesa, morre aos 94 anos

Cantor gravou e compôs mais de 1000 músicas, entre elas “She”

O cantor e compositor Charles Aznavour morreu hoje (1) aos 94 anos. A causa ainda não foi divulgada. Considerado o “Frank Sinatra francês”, Aznavour teve uma longa e vitoriosa carreira.

Estima-se que ele tenha vendido 180 milhões de discos ao redor do mundo e que compôs ou ajudou a escrever mais de mil canções. Ele ainda gravou mais de 50 álbuns em uma carreira que começou em 1933 e só agora terminou – ele em breve iria embarcar em mais uma turnê.

Aznavour gravou em diversas línguas: além do francês, ele também se aventurou no inglês (“She” de 1974 seria o seu maior sucesso global), espanhol, italiano e até em russo e armênio. A última vem do fato dele ter nascido em Paris de imigrantes vindos da Armênia – ele ganhou cidadania dupla em 2008.

O artista tinha uma estrela na calçada da fama de Hollywood e ganhou uma enquete feita pela CNN que visava saber quem era o maior entertainer do século 20. Ele acabou superando nomes como o de Elvis Presley e Bob Dylan.

Aznavour também brilhou no cinema. Foram dezenas de filmes, incluindo trabalhos com diretores conceituados como François Truffaut (“Atirem no Pianista” de 1960) e Claude Cabrol (Os Fantasmas do Chapeleir de 1982). Ele ainda participou de “O Garoto do Tambor” que ganhou a Palma de Ouro em Cannes de 1979 e o Oscar de melhor filme estrangeiro no ano seguinte.

Ouça “La Bohème” de 1965

Com Informações: Vagalume

Fechar Menu