Catador encontra material cirúrgico avaliado em R$ 4 mil

Cerca de 20 pacotes fechados e esterilizados foram constatados pelo homem e a esposa

O catador Juarez Campos da Silva encontrou um saco plástico contendo material cirúrgico, em uma rua do bairro Parque Maria Helena.
Ao todo, cerca de 20 pacotes fechados e esterilizados foram constatados pelo homem e a esposa, Maria Rodan da Silva, que já trabalhou como enfermeira e identificou os itens abandonados. Segundo ela, o material é avaliado em ao menos R$ 4 mil. A administração municipal soube da situação e a Vigilância Sanitária deverá tomar providências fazendo investigação do caso.
O suzanense contou à reportagem do que recolheu o saco durante o trabalho de catador, por volta das 22h30 de terça-feira. Horas depois, ao separar a coleta do dia, se deparou com uma tesoura cirúrgica que se desprendeu do saco.
Ao analisar a sacola, encontrou dezenas de pacotes com itens semelhantes, todos lacrados e sem identificação de nenhuma unidade de saúde. Maria, a esposa do catador, trabalhou como enfermeira por 20 anos e identificou o material.
De acordo com a mulher, tratam-se de pinças cirúrgicas, tesouras, agulha de punção, cabo de bisturi, agulha para anestesia rack, agulha para sutura e peneira. Além de quatro pacotes de algodão hidrófilo 500g. “Isso tudo só é usado em centro cirúrgico e faz muita falta nos hospitais, porque é um material caro.
Roubo
O casal suspeita de que a sacola seja produto de roubo ou que pertença a alguma clínica de aborto clandestina. Isso porque, segundo a enfermeira, o material também pode ser utilizado para realizar o procedimento de curetagem uterina. A polícia foi acionada para prosseguir com o caso.
A situação também foi repassada à prefeitura de Suzano, que deverá tomar as devidas providências no tempo hábil, juntamente com as autoridades competentes, para identificar os autores do delito e aplicar sanções legais, por meio da Vigilância Sanitária.
Corpos
Juarez ainda revelou que é receoso com o que encontra na rua. Segundo ele, ao longo de 29 anos como catador, já se deparou com três corpos nas vias de Suzano.
Com Informações: Diário de Suzano
Fechar Menu