Banda de BH faz música para denunciar tragédia de Mariana; ouça!

A banda Djambê decidiu tomar partido da situação.

banda 2

Já que artistas renomados de Minas Gerais ainda não usaram a sua arte para denunciar a tragédia que praticamente dizimou o Rio Doce, uma banda independente da cidade do Clube da Esquina decidiu tomar partido da situação. A banda Djambê divulgou, via Facebook, na noite desta terça-feira (17), uma versão inacabada da canção “Quanto Vale?”.

Em conversa com o site, o vocalista Emílio Dragão comentou que a música surgiu a partir da angústia que sentiu quando soube das consequência do rompimento das barragens. “Trabalho com música há 16 anos e sempre fiz minha com a intenção de questionar. Com essa letra, não foi diferente. Aconteceu o desastre e bateu aquela angústia…Uma tristeza! Então, decidimos fazer essa denúncia em forma de canção”.

Ainda segundo Dragão, a ideia é gravar a música com arranjo completo e incluí-la nos shows a partir de dezembro.

Dê o play e ouça ”Quanto Vale?”:

Confira a letra de “Quanto Vale?”
(Emílio Dragão + citação do poema “Lira Itabirana” de Carlos Drummond de Andrade)

Rio de lama, Doce, agora amargo. Vem de Mariana, desceu rejeito não tem pra ninguém e varre cama, e sonho e segue tudo pro além e dia Vale, quanto vale a vida de alguém?

Rio de lama, Doce, agora amargo. Vem de Mariana, desceu rejeito não tem pra ninguém e varre cama, e sonho e segue tudo pro além e dia Vale, quanto vale a vida de alguém?

Monstro desceu corredeira (dizimando tudo a sua frente)
Não tem medo de ninguém (de investigação nem de autoridade)
Quase toda realeza (através do financiamento de campanha)
Foi comprada com vintém.

Sai da frente camarada, lixo tóxico não dá pra beber.
Querosene nem gelada, olha o nível dessa gente procê vê.
A TV não fala nada, mas deles a gente devia esperar oquê?
Tragédia desenfreada, morre bicho, morre gente e gente tentando esconder.

“O Rio? É doce.
A Vale? Amarga.
Ai, antes fosse
Mais leve a carga.
Entre estatais
E multinacionais,
Quantos ais!
A dívida interna.
A dívida externa
A dívida eterna.
Quantas toneladas exportamos
De ferro?
Quantas lágrimas disfarçamos
Sem berro?”

Rio de lama, Doce, agora amargo. Vem de Mariana, desceu rejeito não tem pra ninguém e varre cama, e sonho e segue tudo pro além e dia Vale, quanto vale a vida de alguém?
Rio de lama, Doce, agora amargo. Vem de Mariana, desceu rejeito não tem pra ninguém e varre cama, e sonho e segue tudo pro além e dia Vale, quanto vale a vida de alguém?

Fonte: Cifra Club

Deixe uma resposta

Fechar Menu