Bancos e comércios de Suzano ampliam o atendimento preferencial a pessoas com autismo

Bancos e comércios de Suzano ampliam o atendimento preferencial a pessoas com autismo

O autismo é um transtorno que prejudica a comunicação e a interação social.

Bancos e comércios de Suzano ampliaram o atendimento preferencial para os autistas nos caixas de atendimento. A medida é reflexo da lei aprovada pela Câmara Municipal e que já está em vigor. A ideia é evitar a demora nas filas. Uma situação que pode ser extremamente incômoda para os autistas.

Um das principais tarefas para fazer na companhia de criança é ir ao supermercado. No caso do Arhtur, de cinco anos, não é diferente. Mas o caso dele a atividade é ainda mais agitada, porque este ano ele foi diagnosticado com autismo moderado.

“É muito difícil, muito complicado termos filhos autistas porque eles não param. Por causa da fila grande no banco e no supermercado, eu acabo nem indo e fazendo as minhas tarefas”, conta a dona de casa Cristina Mitie Harada.

O autismo é um transtorno que prejudica a comunicação e a interação social.

Mas em Suzano, desde o mês passado, todos os comércios tiveram que incluir nas placas de atendimento preferencial a fita quebra-cabeça colorida, símbolo mundial do autismo. Um direito que agora é garantido por lei municipal.

“Nem sempre você consegue identificar o autista. Então é importante que a pessoa que está acompanhando o autista diga ao funcionário. Aqui está tendo orientação, o pessoal está sendo encaminhado para que aconteça isso. Mas a pessoa tem que salientar ao funcionário”, avalia o cartazista Oneas Ribeiro da Silva.

A lei foi aprovada por unanimidade pelos vereadores depois que um grupo de mães com filhos autistas fez o pedido na câmara. Para um autista ficar numa fila demorada pode ser muito estressante.

“Um exemplo é um deficiente físico que está na cadeira, mas o autista já fica impaciente. Então melhorou muito ter o preferencial ao autista”, relembra Cristina.

Os comércios tiveram seis meses pra se adequar a nova legislação. Quem não garantir o direito do autista na fila, pode ser multado.

O vereador Ântonio Rafael Morgado disse que está acompanhando a situação com as mães e os órgãos de fiscalização. “Estamos dialogando com a gerência de cada estabelecimento para que ela possa se adequar. Não se adequando, a gente vai ver o critério para poder multar o estabelecimento”, pontuou.

Com Informações: G1 Mogi das Cruzes e Suzano

Fechar Menu