As músicas de hoje são muito machistas, diz Zezé

COMENTE

Cantor fala sobre violência doméstica e revela caso na própria família

zeze

Zezé Di Camargo e Luciano lançaram recentemente a música “O Defensor”, que aborda um assunto muito polêmico: a violência doméstica. Em entrevista, Zezé comentou sobre a composição do novo projeto.

“A canção foi feita por dois autores mineiros, que buscaram inspiração dentro de casa. Eles não trataram do assunto de forma pesada, mas sim de uma forma até romântica, com a letra ‘Não tenha medo, denuncie'”, explicou.

Para ele, o tema deveria ser abordado com mais frequência no universo musical, principalmente na área sertaneja, pois “Sempre foi um meio romântico. As músicas de hoje são muito machistas. Só falam de bebida, mulheres, vingança e traição”.

“A mulher virou um lixo nessas músicas e acabou o romantismo com essa galera nova. Desculpa, mas eu sou contra, eu não gravo”, ressaltou o artista.

Questionado se já havia presenciado algum caso de violência doméstica, ele foi sincero e humilde. “Eu morei em periferia e isso infelizmente acontece com frequência. Os caras chegam bêbados em casa e espancam as mulheres. Eu não vi as cenas, mas já fiquei sabendo de vizinhas e conhecidas”, desabafou.

Zezé ainda revelou que houve um caso dentro da própria família. “Eu, por exemplo, tive um tio meu, que era casado com uma tia minha, e ele assassinou o marido de uma (outra) tia, porque o cara batia nela. Ela foi reclamar para ele e ele disse: ‘Olha, você resolva isso com seu marido. Se vier aqui novamente reclamar, eu vou lá resolver essa questão’. Foi uma tragédia na família”, declarou.

Com relação ao meio pejorativo em que a música atual se encontra, enquanto as letras da dupla também não saem das paradas de sucesso nacional, o cantor abriu o jogo. “Tem artistas que não dependem dessa apelação musical. Quem tá começando, tudo bem. Até porque querem um espaço a qualquer custo”, afirmou.

“No nosso caso, não dá. Temo muitos anos de estrada, mais de 30 milhões de discos vendidos. Não temos que pender para esse lado, mas eu respeito essa jogada de quem tá começando a carreira agora”, complementou.

Zezé fez uma participação surpresa no “Brasil Urgente”, comandado pelo José Luiz Datena, por quem tem muita amizade. “Eu criei uma empatia muito grande por ele, porque gosto da maneira como ele trata dos assuntos. Eu meio que sou revoltado com as injustiças no Brasil e compactuo muito com as posições dele”, disse.

Fonte: Portal Band

Deixe uma resposta

Fechar Menu