Após polêmica com multas, radar ‘dedo-duro’ volta para Rodovia Mogi-Bertioga
Foto: Reprodução/TV Diário

Após polêmica com multas, radar ‘dedo-duro’ volta para Rodovia Mogi-Bertioga

Os radares ficaram conhecidos dessa forma porque contam com tecnologia capaz de ler as placas dos carros e, assim, alertar a polícia sobre roubos e furtos e até se houver problemas na documentação, como atraso do IPVA e licenciamento.

O radar “dedo-duro” está de volta à Rodovia Mogi-Bertioga. Depois de quatro anos do fim do contrato que tirou o polêmico radar da rodovia, os aparelhos vão ser instalados no mesmo lugar: no km 58, no bairro da Vila Moraes, em Mogi das Cruzes.

Os radares ficaram conhecidos como “dedo-duro” porque contam com tecnologia capaz de ler as placas dos carros e, assim, alertar a polícia sobre roubos e furtos e até se houver problemas na documentação, como atraso no pagamento do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) ou no licenciamento.

Os equipamentos serão colocados na altura do quilômetro 58, nos dois sentidos. Um já foi instalado. O aparelho, no sentido Bertioga, de acordo com Departamento de Estradas de Rodagem (DER), também vai fiscalizar a velocidade.

O DER informou que não tem previsão de quando os equipamentos devem começar a operar. Os aparelhos ainda precisam passar por aferição e emissão de laudo pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).

O departamento destacou que, depois da aferição, os equipamentos vão passar por homologação, a ser publicada no Diário Oficial do Estado.

O DER informou que esses radares contribuem não só para segurança viária, mas principalmente para que seja monitorada a circulação de veículos pela região. Assim, os policiais têm rápido acesso aos registros criminais.

Ainda segundo o DER, apenas o novo aparelho do quilômetro 58,6 vai ter a função de fiscalização da velocidade, por ser um ponto de atenção onde os motoristas cometem o excesso.

Polêmica

O radar “dedo-duro” operou no local entre 2010 e 2015 e, na época, foi alvo de várias reclamações. A Justiça chegou a suspender mais de 42 mil multas.

Muitos motoristas foram multados irregularmente pelo aparelho. “Eles tiraram a multa, está bom. Tem muito tempo que tirou e porque está voltando? Deixa sem”, afirma Alípio dos Santos Anjos, presidente da Associação Beneficente Vitória da Vila Moraes.

O radar foi retirado, segundo DER, porque acabou o contrato. Para o departamento a volta dele vai ajudar na segurança da rodovia.

O presidente da Associação de Moradores não acredita nisso. “Colocando mais para a rodovia. O local mais necessário já tem: perto da escola e de ponto de ônibus. Não precisa mais, não tem necessidade nenhuma”, avalia Anjos.

Opiniões

“Ajuda por causa do movimento, carro correndo muito e é bom”, afirma o tapeceiro Jeferson de Godói Camargo.

Já o pintor Vanderlei do Carmo não concorda com o radar. “Os alunos da Apae descem do ônibus e não tem passagem para pedestre. Precisava de uma botoeira com semáforo ia ajudar. Mas voltar esse sistema vai voltar a multar. Eles diminuem a velocidade, mas não param para o pedestre que precisa ir para a escola.”

Botoeiras é o nome usado para semáforos com botões de pedestres. O DER afirmou que o tráfego rodoviário não é semelhante ao municipal, que passa por semáforos em cruzamentos, acessos a comércios e residências, Mas que outros dispositivos são implantados, como lombofaixas, lombadas eletrônicas e radares.

Outros radares

A estrada já conta com oito radares com o objetivo de aumentar a segurança de pedestres e motoristas.

Entre janeiro e agosto deste ano, o DER informou que foram aplicadas na rodovia Mogi- Bertioga cerca de 48 mil multas. No mesmo período do ano passado foram 47,4 mil.

Com Informações: G1 Mogi das Cruzes e Suzano

Fechar Menu