Aos 40 anos, Ana Carolina lança DVD e diz que congelou óvulos para futura gravidez

‘Meu filho vai ter duas mães e um pai’, disse a cantora.

ANA

Ana Carolina está debutando no mundo da música. E o CD e DVD “#AC ao vivo” marca a celebração desses 15 anos de carreira, com releituras eletrônicas para seus maiores hits e inéditas . “É meu primeiro disco de músicas dançantes. Não me rendo à estagnação, consegui brincar com o antigo de forma nova”, reforça a mineira de 40 anos, que apresenta o show da nova turnê na próxima sexta-feira e no sábado, às 22h, no Vivo Rio. 

25 músicas em novelas

“Sem dúvida, minha carreira ganhou força com essas trilhas. Quando toca na TV, quantos milhões de brasileiros estão assistindo? É o famoso ‘tem que me ouvir’. Mas estar na novela não é garantia de sucesso. O que acho impressionante é como as canções casam bem com as tramas. E nunca fiz nada sob encomenda. Agora, por exemplo, ‘Esperta’ está em ‘Babilônia’, e ‘Coisas’ vai entrar em ‘I love Paraisópolis”.

Proibido para menores

“Essa não é a primeira vez que um DVD meu vem com o selo de conteúdo adulto. Meu show tem pais e filhos, uma galera dos 16 aos 60 anos. Não tenho problema algum em cantar os termos ditos proibidos, até porque já fui adolescente e quando alguém me dizia que eu não podia, aí é que eu queria mesmo. Minha mãe, de 78 anos, assistiu ao clipe de ‘Libido’ por causa do burburinho sobre o beijaço (no vídeo, Ana beija mulheres e homens), e disse: ‘Não achei nada demais’”.

Muito além das baladas

“Lamento a ignorância das pessoas com relação ao meu trabalho. Não sou só a cantora da balada romântica da novela. Sempre fiz samba, por exemplo. Mas tem gente que não sabe e não quer saber. Posso me diversificar, desde o pop escancarado até o arranjo mais sofisticado. Estou dando a cara a tapa e fazendo tudo o que eu quero fazer”.

Superconectada

“Tenho quase 4 milhões de seguidores no Facebook. Fico conectada cerca de 12 horas por dia, quando não estou pintando nem editando vídeos nem fazendo música. Adoro ler as críticas, porque acho que sempre têm um fundo de verdade”.

Beijo polêmico em ‘Babilônia’

“Acho que quem recrimina a orientação sexual dos outros não tem noção da falta de responsabilidade de seu preconceito. Ninguém é gay porque optou. Toda vez que vejo alguém na TV ou na internet esculhambando gays, penso: é veado! E é veado atrasado, porque precisa de terapia para descobrir que também o é. Vi a cena da Fernanda Montenegro com a Nathalia Timberg e achei o beijo delas natural, amoroso, sutil. Fico abismada que ainda se importem com isso”.

‘Libido’

“Sozinha, eu não tô! Quem está me comendo eu não vou te contar, mas comer a Madonna ainda é uma vontade. Para mim, tesão extrapola relacionamento. Sinto por tudo que mexe com o meu coração, tudo o que faço com alegria”.

Quarentona

“Tenho medo de envelhecer e medo da morte. Ao mesmo tempo que não quero voltar atrás, por toda a experiência conquistada, fico completamente abalada com o tempo passando, com os cabelos brancos”.

Vaidade

“Faço tudo o que é coisa de mulherzinha. Massagem, unhas, cabelo, maquiagem… Passo creme para dormir e para acordar, vivo 24 horas de corretivo e uso protetor solar até em casa” .

O pretinho básico de sempre

“Sou capaz de usar a mesma calça preta dez anos. Dessa blusa aqui eu tenho dez iguais. Parece coisa de maluco, né? Blazer preto ou capa, uns 40. É até sacanagem ligar pra casa e pedir à empregada: ‘Pega a minha calça preta!’. Ela vai descer com um monte. Ser discreta é da minha personalidade. Tenho roupas vermelha, azul, verde e sapatos coloridos. Mas, pensa comigo: as pessoas já vão ao show para me ver, eu já estou em cima do palco e ainda vou colocar um abacaxi na cabeça?”.

Futura mamãe?

“Congelei meus óvulos. Se vão virar bebê já é outra história. Não quero deixar o tempo passar e perder a oportunidade, mas também não estou ansiosa, não vou ser uma mulher infeliz se não for mãe em breve. Para um bebê acontecer, eu teria que ter um parceiro. Gostaria que meu filho tivesse um pai presente. A presença masculina me fez falta na vida (o pai de Ana morreu quando ela tinha 2 meses de idade). Meu filho vai ter duas mães e um pai. Essa é a ideia”.

Solidão

“Gosto da solidão e a preservo. Quando subo ao palco para cantar para tantas mil pessoas e depois vou para o hotel ou volto para casa sozinha, fica bem clara para mim essa questão. Mas em outros momentos, em que crio músicas e telas, preciso do ócio e da solidão. Engraçado: estar apaixonada e com alguém não me deixa mais inspirada. Quer um exemplo? Sou a rainha de estar triste e fazer uma música feliz. E vice-versa. Parece que é uma busca do contrário, entende?”.

Futuro

“Eu tenho vontade de fazer um disco voz e violão, um show voz e violão, fazer um disco cantando músicas de outros compositores, com orquestra… Ainda tem muita coisa pela frente. Sou só uma debutantezinha… (risos)”.

Fonte: Extra TV Lazer e Música

Deixe uma resposta

Fechar Menu