Anvisa recolhe remédios para hipertensão
MJ_Prototype/iStockphoto

Anvisa recolhe remédios para hipertensão

Impurezas detectadas em medicamentos seriam potencialmente cancerígenas; risco é de 0,00017%, um caso a cada 6 mil pessoas

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) anunciou nesta quarta-feira (8) o recolhimento de quase 200 lotes de medicamentos para o tratamento de hipertensão. A lista de medicamentos e lotes recolhidos pode ser vista no site do órgão.

Em nota, a agência afirmou que o recolhimento de lotes específicos se dá pela presença de nitrosaminas — impurezas encontradas na medicação — em remédios que contêm o princípio ativo sartana, visando a proteção à saúde da população.

De acordo com o órgão, estudos afirmam que o consumo diário de nitrosamina, em sua dose máxima, durante cinco anos seguidos, seriam potencialmente causadores de câncer. Autoridades europeias calculam que o risco de câncer associado ao consumo contínuo da substância é de 0,00017%, sendo um caso para cada 6 mil pessoas.

A determinação segue o mesmo padrão adotado por agências sanitárias internacionais, como a FDA (Food and Drug Administration), órgão responsável pela liberação de alimentos e medicamentos nos Estados Unidos e a EMA (Agência Europeia de Medicamentos). No Brasil, além do recolhimento dos medicamentos, a Anvisa solicita a suspensão de sua produção.

O órgão afirma que, caso o paciente tenha em casa o lote do medicamento recolhido, o tratamento não deve ser interrompido até que seja feita a troca de medicação com igual valor terapêutico sob orientação médica. A interrupção imediata do tratamento pode causar insuficiência renal, ataque cardíaco e AVC.

A Anvisa afirma que o paciente pode, também, entrar em contato com a empresa farmacêutica, solicitando a troca de seu medicamento.

Com Informações: R7

Fechar Menu