Alunos e professores do Instituto Federal de Suzano fazem aula pública em praça em protesto contra cortes na educação
Foto: Débora Carvalho/TV Diário

Alunos e professores do Instituto Federal de Suzano fazem aula pública em praça em protesto contra cortes na educação

Objetivo do ato é mostrar as pesquisas que já foram realizadas na unidade graças ao repasse do Governo Federal e que ficam comprometidas com os cortes no orçamento das instituições.

Alunos e professores do campus do Instituto Federal de São Paulo (IFSP), em Suzano, realizaram uma aula pública na Praça João Pessoa, na tarde desta quinta-feira (30), em protesto aos cortes na educação, anunciados pelo governo federal.

Este é o segundo dia de protestos unificados pelo país contra os cortes anunciados pelo governo federal para o setor. Os primeiros atos ocorreram em 15 de maio.

Eles começaram a chegar à praça por volta das 13h, com banners, pesquisas e entregando folhetos para as pessoas. Evandro Teixeira Cabral Filho é aluno do IFSP há sete anos e, atualmente, cursa tecnólogo em mecatrônica industrial. Ele foi até a praça participar da aula, porque diz que o momento é de expor para Suzano a ciência e a tecnologia que eles produzem na cidade.

“A gente pode mostrar o quanto que a gente pode beneficiar a cidade com o que e a gente tem. Diante desta ameaça de contingenciamento, a gente infelizmente vai ter as nossas bolsas cortadas e não vamos ter dinheiro para pagar as despesas da universidade”, afirmou.

A professora Mônica Maria Biacolin, do curso de química do IFSP, diz que os cortes causam uma preocupação com relação ao que vai ocorrer não só com os institutos, mas também com as universidades federais.

“Em pouco tempo do instituto, a gente sabe o quanto de ganho que ele trouxe para a cidade. Ao invés de ser cortado, ele tem de ser expandido. Eu acredito que a educação muda o país, e quando a gente acredita nisso, a gente vê a qualidade dos alunos que saem do nosso instituto”, destacou.

Foto: Débora Carvalho/TV Diário

Os alunos se reuniram para, às 15h, irem para São Paulo se unir aos estudantes das demais cidades.

Entenda os cortes na educação:

  • Em decreto de março que bloqueou R$ 29 bilhões do Orçamento 2019, o governo federal contingenciou R$ 5,1 bilhões da educação
  • Dos R$ 5,8 bilhões cortados, R$ 1,704 bilhão recai sobre o ensino superior federal
  • Em maio, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) informou sobre a suspensão da concessão de bolsas de mestrado e doutorado
  • Os cortes e a suspensão motivaram os protestos de 15 de maio
  • Após os atos, o governo disse que liberaria mais recursos para a educação, mas manteve o corte anunciado em março
  • Nesta quinta, o Conselho Nacional dos Direitos Humanos recomendou que o governo reveja os bloqueios

Com Informações: G1 Mogi das Cruzes e Suzano

Fechar Menu