AACD de Mogi das Cruzes suspende atendimento de novos pacientes

Novos pacientes de Suzano não serão mais aceitos; prefeitura lamenta e não intercederá 

aacd2

A Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD) de Mogi das Cruzes não está mais atendendo novos pacientes de alguns municípios do Alto Tietê. De acordo com a entidade, a medida foi tomada por conta do déficit financeiro mensal acumulado. Atualmente, a unidade recebe subvenções apenas das prefeituras de Mogi das Cruzes, Guararema e Poá. A AACD informou que recebe mensalmente de Mogi R$ 80 mil, de Poá são R$ 10 mil e Guararema repassa R$ 7,5 mil.

Mesmo com esses valores, a entidade afirma que tem um déficit financeiro que gira em torno de R$ 30 mil a R$ 40 mil por mês. Para tentar fechar as contas, a AACD informa que promove eventos, como a Noite do Bem realizada em novembro. Mesmo assim, a entidade justifica que sem a ajuda financeira das outras prefeituras não tem como atender pacientes das dez cidades da região.

No entanto, a AACD destaca que os pacientes dos municípios que não enviam contribuição e já são atendidos na unidade de Mogi das Cruzes continuarão seu tratamento. Os novos que procurarem atendimento serão encaminhados para as unidades básicas de saúde de suas cidades, informa a AACD. 

Francisca Emilliany Pedro mora em Suzano e tem uma filha de 11 anos que desde os 3 anos faz tratamento na AACD. A menina sempre foi atendida nas unidades do Ibirapuera e da Mooca na capital. “Minha filha tem paralisia cerebral com espasticidade. Ou seja, ela é muito rígida. E já passou por duas cirurgias. Na AACD, ela já fez diversos tratamentos e agora precisa do acompanhamento de um fisiatra”, detalha Francisca. Ela conta que em maio a unidade da Mooca a direcionou para a unidade de Mogi das Cruzes por ser mais próxima da casa dela, mas ficou esperando um contato da entidade.

“Eu vi um comentário de uma mãe de Suzano em uma rede social afirmando que a AACD de Mogi não atenderia gente de outra cidade.” Francisca ligou na entidade e foi informada que deveria procurar a Secretaria Municipal de Saúde de Suzano. “Se eu não ligasse, não saberia dessa decisão. Imediatamente liguei na unidade da Mooca e pedi o retorno da minha filha para lá. Afinal, ela sempre teve atendimento na unidade.”

A unidade de Mogi das Cruzes atende a 800 pacientes. A entidade não soube informar o número de pacientes por cidade, afirmando que ainda faz um levantamento disso. A AACD de Mogi das Cruzes existe há quatro anos e oferece atendimentos, como fisioterapia e terapias ocupacional e aquática.

Prefeituras
A Prefeitura de Arujá informou que as providências a serem tomadas estão sendo discutidas pelo gabinete do prefeito e a Secretaria de Assuntos Jurídicos.

De acordo com o secretário da Fazenda de Ferraz de Vasconcelos, Michael Campos Cunha, a Prefeitura foi procurada há menos de dez dias para contribuir com a entidade. Segundo Cunha, o município estuda com as pastas competentes o pedido, assim como o valor despendido. 

A Prefeitura de Suzano informou que “lamenta a situação financeira da AACDe lembra que a própria Prefeitura enfrenta sérios problemas de arrecadação e de recebimento de repasses. O País e o Estado de São Paulo também passam por terríveis dificuldades econômicas.” A Prefeitura completou dizendo “que seguimos com nossa convicção que a AACD é uma entidade que presta serviços essenciais ao povo deste país e, temos certeza, que a população de Suzano e de outras cidades vizinhas não serão prejudicadas.”

O G1 pediu e aguarda a posição das prefeituras de Biritiba Mirim, Itaquaquecetuba, Santa Isabel, Salesópolis.

Fonte: G1 Mogi das Cruzes e Suzano

Deixe uma resposta

Fechar Menu